Fixação de chumbadores

10 de junho de 2016

Cuidados na instalação dos chumbadores químicos e mecânicos evitam patologias decorrentes da perda de capacidade de carga


Fotos: Marcelo ScandaroliChumbadores mecânicosCom bitolas e tamanhos variados, os chumbadores mecânicos, popularmente conhecidos como parabolts, funcionam por atrito, com barras rosqueadas ou parafusos (com roscas internas e externas). A instalação convencional é feita por torque (bolt e jaqueta e cone) ou por percussão. Este último tipo dispensa o uso de torquímetro para fixação.

Profundidade e torqueDiferentemente dos chumbadores químicos, que podem ser instalados em furações com profundidades superiores ao seu comprimento para suportarem maior carga, os chumbadores mecânicos requerem profundidades equivalentes ao seu comprimento. O torque correto, feito de acordo com as indicações do fabricante, assegura o desempenho da ancoragem mecânica. Pode ser feito com chave comum de boca, mas o ideal é que seja feito com um torquímetro para que o torque excessivo não rompa o concreto.Fotos: Marcelo Scandaroli

Fotos: Marcelo ScandaroliChumbadores químicosResinas de base poliéster, epóxi e vinilester são usadas para aderir a barra (de aço) à parede do furo. O poliéster é contraindicado para bases de concreto, cuja alcalinidade deteriora a resina, levando à perda da sua capacidade de carga.

DimensionamentoO embutimento (profundidade da perfuração) deverá ter quatro vezes o diâmetro da barra, sendo que esse valor nunca poderá ser inferior a 40 mm. Um exemplo: se a barra tem 12 mm de diâmetro, o embutimento deverá ser de, no mínimo, 48 mm.Fotos: Marcelo Scandaroli

Fotos: Marcelo ScandaroliLimpeza do furoA limpeza adequada do furo garante melhor aderência da resina no substrato por eliminar as partículas soltas. A perfuração deve ser limpa com escova de aço e, em seguida, com um jato de ar proveniente de mangueira ou ar comprimido, em caso de furos com profundidades (embutimento) superiores a 20 cm.

Preenchimento e curaA barra de aço ocupará espaço na perfuração. Por isso, e para evitar desperdício de material, apenas 2/3 da profundidade do furo deverão ser preenchidos com a resina, que deve permanecer intocada até a cura completa, que é influenciada pela temperatura. Em temperaturas inferiores a 20ºC, a cura inicial pode ser um pouco mais demorada.

Fotos: Marcelo ScandaroliVerificação das cargasO ensaio de verificação de cargas em chumbadores pode ser feito com macaco hidráulico, pela própria equipe da obra. Outra forma de fazer isso é contar com serviços de laboratórios que emitem laudos técnicos imparciais, sem vínculos com a empresa fornecedora do produto.

Marcelo ScandaroliAplicação e armazenagem de resinas Cada tipo de resina requer aplicadores e bicos misturadores apropriados. Resinas que vêm em tubo injetável garantem uma mistura melhor dos componentes. Para garantir a boa mistura de componentes, descarte aproximadamente 10 cm de filete do material. Se sobrar resina, ela deverá ser armazenada junto com o bico, que deverá ser trocado por um novo em uma próxima aplicação.


Unidade de medida Os chumbadores mecânicos seguem uma unidade de medida em polegadas, tanto na parte interna quanto na externa. Portanto, o uso de brocas em polegadas, em vez de milímetros, ajuda a evitar erros de perfuração, que podem comprometer a capacidade de carga do chumbador.Marcelo Scandaroli

Apoio técnico: engenheiro Edson Nascimento, gerente técnico e de marketing da Fischer e Tolentino Soares de Souza, orientador de práticas profissionais do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Orlando Laviero Ferraiuolo (Senai Tatuapé).

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/194/artigo288511-1.asp
http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/194/artigo288511-2.asp
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010