Passo a passo preparo de armaduras para concretagem

6 de novembro de 2013

Montagem correta das armaduras é fundamental para assegurar bom cobrimento do concreto e, conseqüentemente, a qualidade da estrutura

Reportagem: Juliana Nakamura
Nas estruturas de concreto, a perfeita cobertura das armaduras é um dos fatores que garantem a durabilidade da edificação. Quanto mais protegida a armadura, melhor. Por isso é uma etapa que deve receber atenção dobrada. Se a armadura se movimentar e, numa laje, por exemplo, levantar, uma parte pode ficar exposta e, depois, com o tempo, sofrer corrosão.
Utilizar os vergalhões com bitola e quantidade certas é o primeiro passo. Depois, é preciso amarrar corretamente as barras de aço, quando se faz a montagem das armaduras. Outro procedimento necessário é garantir o espaçamento correto das armaduras, obedecendo ao desenho do projetista. Para isso utilizam-se espaçadores, também chamados de distanciadores.  São peças, quase sempre de material plástico, que mantêm os ferros na posição certa mesmo sob o peso do concreto fresco. Quando o concreto é jogado, às vezes bombeado, a força e o peso são tão grandes que podem tirar as armaduras do lugar.
Os distanciadores devem ser colocados no lugar certo e em quantidade para ficar bem distribuídos. Existem espaçadores para cada aplicação: nas lajes são usados distanciadores do tipo "cadeirinha"; nas vigas e pilares, o modelo é outro, o circular "S". Existem ainda os modelos multiapoio, que suportam grandes cargas e são indicados para fundo de vigas e lajes muito pesadas. A seguir, veremos como posicionar os distanciadores corretamente nas lajes, vigas e pilares.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Materiais necessários: armaduras, torquês, arame de aço recozido, distanciadores plásticos.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Nessa obra fotografada foram utilizadas fôrmas de compensado de madeira produzidas na própria obra. No entanto, o bom posicionamento das armaduras não depende do material que compõe a fôrma. O mais importante é que as fôrmas não deixem o concreto escapar e estejam no prumo e nível certos.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Hoje as construtoras têm optado por realizar esse serviço em uma central de armaduras, para controlar melhor o trabalho. Outras construtoras preferem comprar o aço já cortado e dobrado, para diminuir o desperdício e aumentar a rapidez do serviço.
Fotos: Marcelo Scandaroli
A montagem das amaduras deve ser realizada sobre um cavalete ou, no caso de lajes, diretamente sobre as fôrmas, após o corte das barras nas medidas indicadas no projeto.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Marque o vergalhão com giz no ponto onde deverão ser amarrados os estribos. Em seguida, com o auxílio de uma torquês, amarre os estribos ao vergalhão da armadura com arame recozido, girando até que fique bem preso.
Com a própria torquês, corte a sobra do arame.
Fotos Marcelo Scandaroli
O passo seguinte é colocar os espaçadores. Em vigas e pilares, usam-se os modelos circulares. As peças, cujos tamanhos variam de acordo com o cobrimento, devem ser posicionadas com o raio de abertura paralelo à forma.
Fotos Marcelo Scandaroli
Encaixe a peça em estribos alternados, de forma a obter uma distribuição uniforme das peças por todo o elemento estrutural.


Fotos Marcelo Scandaroli
Da mesma forma, com as ferragens prontas, distribua os espaçadores do tipo cadeirinha nas lajes. Nesse caso, com ajuda de uma barra e ferro ou de um pé-de-cabra, levante as armaduras e coloque o espaçador centralizado no encontro de ferragens.
Fotos Marcelo Scandaroli
Com a armadura e os espaçadores devidamente colocados, pode-se iniciar a concretagem, de acordo com a determinação do projeto estrutural.

IMPORTANTE

Outros cuidados importantes
» Não se esqueça de embutir antes as instalações elétricas e hidráulicas
» Cuidado para não deslocar as armaduras. Providencie plataformas de madeira para os operários caminharem durante a concretagem
» Lance o concreto em camadas e de forma cuidadosa para não deslocar as ferragens 
» Para garantir homogeneidade e evitar falhas, é importante que os espaçadores sejam distribuídos uniformemente. Siga as práticas indicadas pelo fornecedor 
» É obrigatório usar o cinto de segurança do tipo pára-quedista quando a altura passar de 2 m
A norma de estruturas 6118 determina quanto deve ser o cobrimento mínimo das amaduras. A camada de concreto aumenta conforme a agressividade do local. Por exemplo, uma obra à beira-mar ou exposta a produtos químicos, como um armazém, tem mais risco de corrosão do que outra construída numa área rural. Veja a tabela com os cobrimentos recomendados:
Apoio: Coplás, construtora MAC e Senai. Obra: Edifício Ventura, Santo André (SP). Colaboração: Renato Luiz Pereira (Coplás) e Raimundo Júlio (MAC)

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010