1 2 3 4

Dpcon VS02 (sem limite de validade)


O método de Dosagem Paramétrica do Concreto - DPCON entra agora na sua segunda versão e está sendo comercializado conforme instruções no final da publicação.

Veja abaixo o que existe em novidades nesta nova versão:

-Coeficiente parametrizado de Student para certeza de sua resistência de dosagem (fcj)
-Fator água/cimento inicial parametrizado com as curvas da ABCP, tudo automático.
-Possibilidade de uso de uma adição no traço 
-Uso possível para dois tipos de aditivos
-Tabela para lançamento de 23 agregados para uma escolha
-Apuração em cada agregado do valor do SS - Specific Surface de Ken Day  (superfície especifica)
-Calculo automático do DMT Dimensão máxima Teórica
-Calculo automático do DMC Dimensão Máxima Característica
-Possibilidade de alterar a potência da curva de Fuller , engrossando ou afinando a  mistura
-Botão para fazer a dosagem automaticamente
-Dispersões em separado das areias e britas em relação a curva de Fuller
-Gráfico com ótimo visual dos percentuais da mistura
-Adoção de coeficiente de forma do agregado graúdo
-Parametrização para o teor de água e o teor de ar aprisionado
-Formulário para os traços inicial, traços de correlação e traço final
-Adoção de até seis traços para correlação de a/c versus resistência
-Parametrização das formulas de correlação de a/c versus resistência
-Carta de traço

Muita coisa não é ?  .....  Anos de estudo para se chegar a isso!! E veja que não existe nada similar a essa proposta para uma dosagem do concreto.

Saiba que mais novidades ainda virão e estas com certeza irão abalar os conceitos de dosagem do concreto não só no Brasil, mas em todo o mundo.

Teremos novas versões com estes novos conceitos mas para isso é preciso que se alcance bastantes usuários na versão VS02 justo, não é?

Então se você quiser outras versões para saber o que vem por aí ....não distribua livremente o programa e sim divulgue o DPCON  solicitando a seus amigos a adquirirem esta versão  VS02.

Ahhh!!!  e tem mais outra novidade que seria o lançamento de um fórum de discussão sobre o DPCON e dosagens do concreto sendo ofertado um grande desconto aos usuários adquirentes desta planilha.



Valor exclusivo de lançamento:   R$150,00 (cento e cinquenta reais) este preço será válido por 30 dias, a plan não tem bloqueios.



Faça seu pedido e torne-se um usuário participando do desenvolvimento desta planilha .

Envie um e-mail para    clubedoconcreto@gmail.com    para adquirir a planilha e logo você receberá as instruções para a sua aquisição.


Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra
Leia Mais

PROTENSÃO DE LAJE - Passo a passo




Recurso para aumentar a resistência de vigas e lajes, a protensão exige muita atenção no posicionamento das cordoalhas e no lançamento do concreto.


Protender um elemento de concreto significa esticar um cabo de aço – a cordoalha – que passa em seu interior. Ao tensionar o elemento de concreto dessa maneira, ele ganha em resistência para alguns tipos de solicitação. Assim, é possível obter vãos maiores de lajes e vigas.
Há três tipos de ancoragem: ativa, na extremidade do cabo onde é posicionado o equipamento que o tensiona; intermediária, localizada ao longo do comprimento e que pode ter a função de intercalar o tensionamento; e passiva, na extremidade oposta ao tensionamento.
FERRAMENTAS E EPIs
Cunhas, ancoragens, capacete, estopa, cinto paraquedista, bomba hidráulica, tinta spray, macaco hidráulico de dois pistões, furadeira, broca, torquês, luva, óculos escuros, estilete e lixadeira manual com disco de corte.

POSICIONAMENTO DAS CORDOALHAS
Passo 1
Após posicionar as fôrmas e a armadura passiva* inferior de acordo com o projeto, fure a borda da fôrma com uma serra copo. Pelo furo passará a ancoragem ativa – cordoalha.
(*) Armadura que não recebe tensionamento.
Passo 2 
No ponto onde ficará a ancoragem ativa, posicione a fôrma plástica para nicho – que será retirada após a concretagem. Neste caso, ela foi fixada com arame, mas isso pode ser feito também com pregos ou parafusos.
Passo 3
A extremidade do cabo com ancoragem passiva é entregue já pronta e deve ser colocada na fôrma conforme indicado em projeto. Esta ponta ficará oculta após a concretagem. Note que o trecho descoberto da cordoalha não pode ser maior que 2,5 cm.
ATENÇÃO
Desenrole o cabo seguindo do lado passivo para o ativo. Siga as determinações do projeto e observe atentamente o posicionamento dos cabos em relação à laje, sobretudo a altura.

Passo 4
Com cuidado para evitar danos ao plástico e ao aço, corte a bainha* da extremidade ativa – apenas o comprimento suficiente para que o cabo seja introduzido na ancoragem. Em seguida, coloque o protetor de cabo na cordoalha (segmento plástico na cor preta, na foto) e passe-a pela ancoragem.
(*) Capa plástica que envolve o cabo de aço.
Passo 5
Para permitir a atuação do equipamento de protensão, faça a cordoalha ultrapassar o limite da fôrma em 30 cm. Quando o cabo estiver na posição correta, fixe-o para que não se desloque durante a concretagem.

Passo 6
A cordoalha é posicionada entre as cubetas da laje nervurada e fixada com um suporte do tipo caranguejo em pontos determinados.
Passo 7
Para melhor fixação, a cordoalha deve ser amarrada à armadura passiva da laje.
Passo 8 
Com os cabos já posicionados e a armadura passiva superior já concluída, a laje precisa passar por inspeção antes de ser concretada. Tome cuidado para que os cabos não sejam deslocados durante o lançamento do concreto, o que nunca deve ser feito a partir de altura superior a 2 m.
CONCRETAGEM
Passo 9Salvo orientação específica do projeto, a concretagem pode começar a partir de qualquer ponto. Especialmente no caso de lajes protendidas, a equipe deve ser instruída sobre os pontos onde devem ser introduzidos os vibradores para adensamento do concreto.
ATENÇÃO!
Durante e após a concretagem, cuidado para não pisar sobre os suportes – plásticos ou metálicos – que mantêm os cabos e os vergalhões no lugar.

Passo 10
Da mesma maneira, ao usar a enxada para espalhamento do concreto é preciso tomar cuidado para não deslocar os elementos da laje.
PROTENSÃO
Passo 11
Quando da retirada das fôrmas, remova também a peça plástica que fazia o fechamento da extremidade do cabo. Aproveite para limpar a parte interna do furo caso pasta de cimento tenha entrado nela. Em seguida, posicione o macaco hidráulico para protensão.
ATENÇÃO!
Antes de iniciar esta etapa, verifique as indicações do projeto com relação à força de protensão e alongamento para cada cabo; extremidades dos cabos a serem protendidas; resistência mínima do concreto no momento da protensão; etapas de protensão; ordem de protensão dos cabos etc. Se estas informações não estiverem claras, o projetista deve ser consultado.

Passo 12
Enquanto um operário segura o macaco, outro aciona a bomba hidráulica. Salvo orientação específica do projeto, não é necessário elevar a pressão por etapas nem verificar o alongamento a cada intervalo. Assim, a pressão da bomba deve ser elevada continuamente até a conclusão.
ATENÇÃO!
Para segurança dos operários e no entorno da construção, as pessoas e equipamentos envolvidos devem estar usando dispositivos de segurança que evitem quedas.
Foto: Marcelo Scandaroli
A bomba hidráulica para acionamento do macaco conta com duas posições: tensionamento e cravação de pistão; e retorno. Antes de usar, verifique o macaco hidráulico e assegure-se de que os componentes tenham sido calibrados em conjunto.

Passo 13
O pistão dianteiro crava a cunha dentro da ancoragem após o tensionamento. Concluída a protensão, verifique se o alongamento previsto foi atingido, já descontado o recuo natural das cunhas (entre 6 mm e 8 mm) após aliviar a tensão do cilindro.
DICA
As anotações de alongamentos, pressões e desvios devem ser passadas ao projetista. Só depois da aprovação dele é permitido cortar o excesso da cordoalha para evitar oxidações.

PREPARAÇÃO DAS CUNHAS
Passo A
Na extremidade de cada cabo em que será feita a protensão é preciso posicionar as ancoragens. São placas metálicas por cujo orifício passará a cordoalha, envolta por cunhas metálicas.
Passo B
Para tanto, insira o par de cunhas nas placas de ancoragem ativa. Note que o interior delas é ranhurado.
Passo C 
A cordoalha passará por entre as cunhas. Quando o movimento de protensão puxar o cabo, as cunhas se afastarão e permitirão a distensão do cabo. No entanto, quando o movimento for inverso, as cunhas travarão o movimento.

EQUIPE DE OBRA
Edição 57 - Março/2013
Leia Mais

Programa para projetar colunas, vigas e membros do eixo de aço

O programa nos ajuda a projetar o aço é: AÇO SYS DESIGNER v.1.1.
Programa para projetar colunas, vigas e membros do eixo de aço

Quais são as características de SYS AÇO designer para desenhar colunas, vigas e membros do eixo de aço?
Características gerais
  • Especialmente desenvolvido para o Windows
  • Ele fornece recursos de edição padrão do Windows
  • Ele fornece uma ampla ajuda sensível ao contexto
Características de design
  • Ele suporta código 91 AISC para o projeto elemento de aço usando o design de resistência admissível (ASD)
  • Você pode criar as colunas de aço, vigas e membros axiais
  • Ele pode lidar com várias formas transversais, tais como H, I, C, T, L igual, L desigual, LL Igualdade, LL, caixa de CC C Duplo desigual, etc.
  • Banco de dados contém toda a seção de produtos Siam Yamato
  • Os membros e os resultados podem ser importados diretamente das mãos e software P1 MicroFEAP
  • Trabalho em unidades do SI, métricas ou dos EUA
  • Fornecer o projeto e analisar opções para a concepção de novas seções para duas combinações de carga dadas e para calcular a capacidade de um determinado ponto
  • Você pode criar vários membros automaticamente usando a opção "Auto Design"
  • Ele contém instalações completas para o cálculo preparação, formatação e impressão de relatórios
  • Ele contém três módulos de Serviços Gerais Unit Converter, deadhead referência constante e engenharia
  • Ele fornece interface de usuário totalmente interativo, gráfica
  • interface de usuário personalizável e preferências
  • Ele suporta cortar e colar dados e gráficos dentro do programa e outros programas baseados no Windows


Resultados e Relatório
  • Os dados e os resultados podem ser importados de outros programas, como GRASP e P1 MicroFEAP
  • Os resultados selecionados podem ser impressos para cada membro diretamente
  • Os resultados seleccionados de cada um dos membros pode ser adicionado a um "Project Report" para a preparação de um cálculo relatório global.
  • relatório do projeto pode ser totalmente personalizado por modificações de conteúdo fontes, margens, cabeçalhos, rodapés, etc, utilizando o "Gerenciador de Relatórios"
  • visualização completa e facilidade de impressão de relatórios
Baixe aqui
Leia Mais

Como fazer uma bancada de concreto com vidro (2)



Eis um passo a passo para fazer o teste de acabamento de uma bancada de concreto com vidro, este é o segundo e terceiro teste:


Os resultados do primeiro teste de bancada foram muito bons, mas queríamos algumas amostras das cores para ser usado na bancada de casa de banho. A casa de banho tem azuis e verdes no azulejo do chuveiro decorativo para Peggy quebrou algumas garrafas azuis e organizou as peças como este:
 
O primeiro teste pareceu um pouco demasiado arenoso assim nós tentamos alterar a mistura usando metade tanto areia e correspondentemente mais vidro esmagado. O resultado foi bastante difícil de trabalhar, e mesmo com relativamente pouca água, ele caiu completamente distante no teste de queda. Parecia haver muito agregado de vidro e não bastante pasta de argamassa para mantê-lo juntos e preencher todos os espaços entre eles.

Uma vez que o material já estava misturado, fomos em frente e colocá-lo no molde. Não encheu o molde completamente, e a parte superior olhou mais como uma entrada de cascalho do que uma massa do concreto. Obviamente, a primeira mistura foi melhor, mas, a fim de salvar o teste, misturou-se um pouco mais de cimento e água e derramou-o sobre o topo para preencher as lacunas.
 
Com o segundo teste não parecendo promissor, fomos à frente com um terceiro lote de teste, e desta vez Peggy colocar em algum copo vermelho para ver como ele vai olhar.
 
Desta vez voltamos para a receita original. O primeiro teste do slump era demasiado duro assim que nós adicionamos a água, talvez um pouco demasiado como a segunda vez que slump foi de muito mais. Este não é nenhum problema para uma parte de teste mas enfraqueceria o concreto por  ter  muita água na mistura.
 
Após o enchimento do molde aproximadamente meio cheio, nós tentamos uma técnica nova para vibrar o molde para liberar as bolhas de ar. Usando uma serra alternada com nenhuma lâmina provou ser bastante eficaz em vibrar o molde, e fez bolhas de ar subir para a superfície. Com o molde não completamente cheio, nós atolamos algumas partes de vidro colorido em torno das bordas. Esperemos que eles vão mostrar depois que a peça é polido.

O molde cheio e se nivela o concreto, então vibrando algum tempo a mais para liberar as bolhas restantes do ar (o que nós esperamos).
 

Nós diamante polido as peças de teste o suficiente para ver como as cores vão olhar. Surpreendentemente, a terceira amostra mostrou mais vidro na sua superfície, mesmo que houvesse menos vidro na mistura. Presumivelmente, a mistura mais líquida e a vibração aumentada permitiram que mais vidro se depositasse no fundo do molde. Em geral, pensamos que ambos parecem bastante bom, e isso nos ajudará a escolher as cores para as bancadas reais.
 

http://www.brainright.com/OurHouse/Construction/Countertops/SecondAndThirdTests/
Leia Mais

Como fazer uma bancada de concreto com vidro (1)

Eis um passo a passo para fazer o teste de acabamento de uma bancada de concreto com vidro:



Antes de fazer nossas bancadas reais , decidimos lançar algumas peças pequenas, a fim de testar nossa mistura e nossa técnica. Fizemos um molde de 30cm "quadrado"  e 4cm de altura, que é a espessura que nossas bancadas serão. Para este teste, decidimos tentar colocar algumas peças de vidro colorido no fundo do molde antes de despejar em uma mistura de concreto feita apenas com vidro claro. Queremos usar essa técnica, ao invés de apenas misturar o vidro colorido por toda parte, porque só temos um pouco de algumas cores como o azul do frasco de conservas e precisaremos usá-lo para o máximo efeito. Isso também nos permite controlar, até certo ponto, o padrão de vidro que aparecerá na bancada acabada.


Nós recrutamos a mãe de Liz para ajudar a esmagar algumas peças de vidro verde para o teste. Não vale a pena usar o triturador de vidro para uma quantidade tão pequena, então Peggy acabou de quebrá-lo com um martelo em uma grande rocha plana. Então ela arrumou cuidadosamente as peças no molde. 

Nós também documentamos o padrão com uma foto de cima para baixo (não mostrada), que vamos comparar mais tarde para a peça acabada para ver o quanto as peças se moviam ao redor como o concreto foi colocado. A bancada é moldada de cabeça para baixo, de modo que o vidro na parte inferior do molde vai acabar na superfície superior.
 
Nós misturamos o concreto do cimento de Portland branco, do vidro esmagado desobstruído, da areia, e de uma adição comercial do countertop do concreto (tipo graute)   e que reduz a quantidade de água que nós necessitamos. A mistura de concreto precisa ter apenas a quantidade certa de água - se ele não tem água suficiente não vai fluir completamente e se ele tem muita água será mais fraco e mais provável a encolher e rachar. 

Teste de Slump artesanal

A fim de verificar o teor de água, realizou-se um teste de queda utilizando um copo de plástico. Enchemos a taça com concreto, tocamo-la algumas vezes para resolver, cortar um pequeno buraco no topo para deixar entrar o ar, e puxou o copo para cima. O cone resultante era quase tão alto quanto o copo; Não caiu muito em tudo. Muito seco!
 
Depois de adicionar um pouco mais de água e misturar novamente, fizemos outro teste de queda. Desta vez, o concreto caiu para cerca de 60% da altura do copo.
Colocamos cuidadosamente o concreto no molde, tentando não perturbar o vidro verde. Nós só enchemos o molde até o meio  neste momento.
 
A fim de consolidar o concreto e encorajar as bolhas de ar a subir à superfície, Peggy vibrou o molde batendo em torno das bordas com um martelo.
 
Depois de tocar por um minuto ou assim, o concreto tinha assentado e bolhas de ar subiram para a superfície. Se não vibrarmos o suficiente, as bolhas de ar permanecerão e todas as que estiverem no fundo do molde se tornarão buracos no topo do concreto (que podemos preencher mais tarde, se necessário). E queremos que o líquido flua em torno de todas as peças verdes que colocamos no molde para que eles estão bem embutidos no concreto. Mas se vibrarmos demais, os sólidos resolverão fora da mistura e nós poderíamos acabar com não bastante cimento "creme" na parte inferior para fazer uma superfície dura. A foto abaixo mostra o que julgamos ser o certo.
Com a primeira camada consolidada, colocamos o resto do concreto e alisamo-lo com uma vara. Calculamos a quantidade de mistura que deve apenas preencher o molde e ele veio de perto, mas um pouco curto, em parte devido a algum material ainda agarrado ao balde e ferramentas. Vamos adicionar cerca de 10% extra na próxima vez.
 
Aqui está a peça acabada no molde depois de um pouco mais vibrando. Vamos cobri-lo com plástico para evitar a rápida perda de umidade, e deixá-lo imperturbável por 4 dias para curar antes de removê-lo do molde.

Depois de deixar a peça curar por 4 dias, removemos do molde. 

A primeira foto abaixo mostra a peça que saiu do molde, e o polidor de pedra Makita que usamos. 

A segunda foto mostra a parte inferior do polidor e alguns dos discos de polimento impregnados de diamante que se prendem a ele. 

O primeiro disco sobre o polidor é o mais grosso, 50-grit, que irá remover material rapidamente, mas deixar uma superfície áspera. Os outros discos têm grãos progressivamente mais finos até 1500. O polidor de pedra tem uma conexão de mangueira e uma válvula para que ele possa alimentar a água através de seu eixo central e sobre a peça como está sendo polido.
 
Quando Jay começou a polir a peça, o vidro verde e claro começou a aparecer.
 
Após cerca de 10 minutos, a maior parte do verde era visível. No geral, demorou cerca de 15 minutos para polir o topo e as bordas com o disco de diamante 50-grit.
A primeira foto abaixo mostra o vidro verde como originalmente apareceu quando Peggy arranjou isto no fundo do molde. Esta foto é uma imagem espelhada, para que possa ser comparada com a vista do outro lado após polimento. 

A segunda foto mostra como se lê depois de polir com o disco de 50 grãos. Podemos ver a maior parte do padrão original, mas algumas das peças originais não são visíveis - presumivelmente porque eles se moveram para cima no molde como a peça foi vibrada. Mais moagem revelaria essas peças, mas também seria moer afastado alguns dos pedaços finos de vidro verde para que não vai moer mais com a roda de diamante grossa.
 
Abaixo está um close-up das duas fotos acima combinadas, com o padrão original de vidro sobreposto no topo da foto final. Ele nos permite ver o quanto o vidro verde se moveu ao redor como o concreto foi colocado no molde, e quanto de cada peça é realmente visível. Podemos ver que a maioria das peças permaneceu sobre onde eles estavam, mas alguns deles se deslocaram por até 1/2 polegada (0,6cm) . Isso nos diz que podemos criar grandes padrões dessa maneira, mas não há nenhum ponto em colocar cada pedaço de vidro exatamente porque eles vão mudar um pouco.
As fotos abaixo mostram como as bordas da peça saíram. Eles parecem decentes, mas é claro que não há verde nas bordas e parece que seria melhor para obter algum vidro colorido nas bordas de alguma forma. 

Poderíamos apenas misturar tudo junto se tivéssemos vidro colorido suficiente, e temos bastante verde para fazer isso, mas não o suficiente de algumas das cores que queremos usar. Então, em vez disso, vamos tentar encontrar uma boa maneira de obter algum vidro colorido para ficar em torno das bordas do molde. 

Nessas fotos você também pode ver um pouco de textura da areia que usamos na mistura. Parece um pouco mais arenoso do que nós gostaríamos assim que nós cortaremos para trás na areia e aumentaremos a porcentagem do vidro para o grupo seguinte.
 

Leia Mais
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010