1 2 3 4

Sistema PERI GRIDFLEX

Clique para ver a próxima imagem.

O sistema de formas modulares para lajes com um conceito de segurança inovador


O PERI GRIDFLEX é o sistema de formas modulares para lajes com grelha de vigas acessíveis. 

Devido aos seus componentes leves de alumínio e sequência de montagem predefinida, é possível reduzir drasticamente os tempos de confecção de montagem de formas. 

Os elementos telescópicos asseguram a máxima flexibilidade. 

O sistema de painel em grelha permite o acesso em segurança para a colocação dos forros em contraplacas.

Os elementos GRIDFLEX têm cores diferentes para facilitar o seu manuseamento:


Vermelho: Elemento de compensação transversal
Amarelo: Elemento de compensação longitudinal
Branco: Elemento standard

A possibilidade de mudança de direcção de montagem do sistema permite adaptar-se a qualquer geometria e oferece soluções para inúmeras aplicações.Clique para ver a próxima imagem.Clique para ver a próxima imagem.








Veja o vídeo e entenda esse simples sistema:

Leia Mais

Eflorescência Em Paredes De Concreto, Tijolos E Blocos

O que é eflorescência? É uma acumulação de sais minerais que se formam em uma forma semelhante a estalactites de uma caverna de calcário.


eflorescência em uma parede de blocos preformados, cor de cimento
Um reforçado parede blocos preformados, concreto, 200 de espessura.

Onde eu moro não vemos um monte de esta acumulação de sais minerais que lixivia fora do cimento não tratada ou superfícies de concreto. Para a maior parte dos problemas geralmente ocorrem e são mais evidentes e se preocupar com algumas alvenarias de tijolos ceramicos  ou blocos de concreto. 

A maioria das casas de alvenaria onde eu moro são agora construídos com paredes de blocos de concreto que fazem das seguintes maneiras.
  • Pintado. A pintura protege a blocos pré-formados, sela-lo de penetração da água e altera a cor.
  • Estuque, com aditivos no gesso para impermeabilizar-lo. Às vezes alguma cor é adicionada também.
  • Rebocada e pintada então, este é, de longe, o método mais comum
  • Limpar quando se termina e impermeabilizar as paredes.
O acabamento claro é normalmente utilizado apenas quando os blocos coloridos são utilizados para preservar a aparência dos blocos. 

Qualquer produto de cimento ou concreto com base pode ser propenso a eflorescência, mas mostra-se principalmente sobre os tijolos cerâmicos. A pintura e reboco deve ser feito imediatamente, antes do início da eflorescência. Isso praticamente pára  a sua aparência. 
eflorescência no exterior de um tanque de água de betão
Construir em torno das juntas de construção de um tanque de água de concreto.

Aqui você pode ver muito claramente, pequenas estalactites formando do lado de fora de um tanque de água de concreto.
  • No caso acima, a água é lentamente lixiviação através das juntas de construção na parede de concreto. Quando a água evapora um pó branco surge.
  • A própria (de qualquer fonte) de água pode conter os sais minerais que causam o problema.
  • A água pode estar arrastando os sais a partir do material do concreto, tijolo ou bloco.
  • Muitas vezes é a argamassa em alvenaria ou blocos pré-formados, que está causando o a eflorescência. É comum vê-lo seguir e lixiviação para baixo das juntas da argamassa.
  • tijolos de argila raramente emitem eflorescência, mas é claro que eles têm de ser colocados em argamassa.

Como se Parar Eflorescência, Pelo Menos, Minimizá-La.

  • Esta ação de depósito de sais minerais está diretamente relacionada à umidade, de modo a reduzir ou parar a fonte de água.
  • Os blocos devem estar secos antes de aplicar.Isso mantém as camadas de blocos felizes também, eles não querem blocos molhados.
  • Cobrir  cobrir os topos das paredes. 
  • Eflorescência em curso poderia ser um sinal de que a água está ficando nas paredes, através de rufos, ou uma avaria em calhas ou uma falha em um sistema à prova de umidade para permitir que a água do solo para subir a parede.

Como Remover O Grande "E"

  • Se você vê isso como ruim, não espere para obter ajuda de fora.
  • Raspar a parede até o osso e secar, em seguida, tentar remover o pó seco com uma escova dura.
  • Em seguida, levante fora o que você pode com uma esponja úmida.
  • jateamento de água ou mangueira para baixo inicialmente pode parecer bom, mas você acabou de colocar algum do material de volta para a parede, e você tem embebido na parede de modo que o processo de secagem terá de fazer novamente.
  • Não usar ácido fosfórico. Afirma-se freqüentemente que ele irá limpar eflorescência. Mas você tem que usá-lo muito diluída, e então você tem que lavar toda a parede para baixo depois de mudar todo o resíduo de ácido, então você pode começar o mesmo ciclo. Ele funciona, mas não é bom o suficiente para compensar a inconveniência e o perigo para o aplicador.
  • A mesma coisa com limpadores alcalinos fortes, eles trabalham mas não vale a pena. No pior caso, você pode estar colocando mais sais na parede.
Leia Mais

Curso de Isostática - Prof. Winston Zumaeta

Visite o site dos cursos com exercícios resolvidos:
http://wlcursos.com/material-didatico/prof-winston-zumaeta/isostatica/
WL Cursos
1. Curso de Isostática em videoaulas
1.1 Aula 01 – Conceitos básicos de isostática
Esta é a primeira aula deste curso gratuito de Isostática, onde estão sendo abordados conceitos básicos, e de extrema importância para o sucesso nesta disciplina.


1.2 Aula 02 – Grau de hiperestaticidade
Esta é a segunda aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples de avaliar o grau de hiperestaticidade das estruturas e classificá-las em hipostática, Isostática ou hiperestática.


Classificação em estrutura hipostática, isostática ou hiperestática
1.3 Aula 03 – Reações de apoio em vigas | Parte 1
Vigas com cargas concentradas
terceira aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples e prática de calcular reações de apoio em vigas biapoiadas. Esta é a primeira parte, onde se mostrou o cálculo das reações de apoio em vigas biapoiadas com cargas 
Esta é a 



1.4 Aula 04 – Reações de apoio em vigas | Parte 2
Vigas com carregamento uniformemente distribuído
Esta é a quarta aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples e prática de calcular reações de apoio em vigas biapoiadas. Esta é a segunda parte, onde se mostrou o cálculo das reações de apoio em vigas biapoiadas com cargas 

1.5 Aula 05 – Reações de apoio em vigas | Parte 3
Vigas com carregamento triangular

 Esta é a quinta aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples e prática de calcular reações de apoio em vigas biapoiadas. Esta é a terceira parte, onde se mostrou o cálculo das reações de apoio em vigas biapoiadas com cargas 



1.6 Aula 06 – Reações de apoio em vigas | Parte 4
Vigas com carregamento trapezoidal
Esta é a sexta aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples e prática de calcular reações de apoio em vigas biapoiadas. Esta é a quarta parte, onde se mostrou o cálculo das reações de apoio em vigas biapoiadas com carga trapezoidal.


1.7 Aula 07 – Reações de apoio em vigas | Parte 5
Vigas com carga-momento
Esta é a sétima aula deste curso gratuito de Isostática, onde está sendo abordada uma maneira muito simples e prática de calcular reações de apoio em vigas biapoiadas. Esta é a quinta parte, onde se mostrou o cálculo das reações de apoio em vigas biapoiadas com carga-momento.

Leia Mais

Colunas circulares - FAST-TUBE

Fast-Tubo na chuva

Estou apenas mostrando o que se anda fazendo em outros países, não comercializo.... Leiam:

Fast-Tube ™ é uma maneira revolucionária para formas de colunas  circulares de concreto para uso residencial ou comercial.


Fast-Tube ™ é uma forma "suave" de tecido para formar colunas redondas de concreto.

Fabricados a partir de polietileno de alta resistência, Fast-Tube ™ vem em rolos de 100 'de comprimento e diâmetros de 8 ", 10" e 12 ". Instalação, vazamento e remoção é rápido e fácil.

Vantagens sustentáveis:

Sem desperdício: cortar qualquer comprimento de rolo que tem 100 pés
Enviado em rolo e plana, e  1% do espaço de tubos de papelão
O peso leve, 10% do peso de tubos de papelão
Tiras para fazer as formas em segundos
Reciclar membrana como para se por o concreto
Não danificada pela chuva e umidade 

Veja o vídeo:





 
enchimento do tubo





Leia Mais

Fundação PIN



Estou apenas mostrando o que se anda fazendo em outros países, não comercializo.... Leiam:

Este é um produto inovador, patenteado, mas vejam o seu video:




A vantagem Fundação Pin: 

Um pino pilha base sólida que atinge profundamente no solo sem cavar buracos ou despejando concreto! A instalação é simples. 

A cabeça de concreto pré-moldado é instalado na superfície do chão, e aço do rolamento pinos são movidos através da cabeça e no solo usando ferramentas simples de mão. 

Esta é a melhor maneira de instalar uma base confiável e durável que vai durar a vida útil de sua estrutura.


site:

catalogo de todas as opções:


Leia Mais

DMT porque devo usar ?

Sempre é bom dizer as diferenças entre Dimensão Máxima Característica -DMC e Dimensão Máxima Teórica - DMT

Adotei o nome de Dimensão Máxima Teórica - DMT por ser de mais fixação e tenho procurado sempre explanar algo sobre o assunto e ai vamos com mais explicações ...

Diferenças DMC e DMT

-Dimensão máxima teórica - DMT é o valor EXATO no qual o agregado apresenta uma porcentagem retida acumulada exatamente igual a 5% em massa ou de outro valor a que se venha adotar.

-A dimensão máxima caraterística - DMC de um agregado, corresponde à abertura nominal, em milímetros, da malha da peneira da série normal ou intermediária, na qual o agregado apresenta uma porcentagem retida acumulada igual ou imediatamente inferior a 5% em massa ou outro valor a que se venha adotar.

Logo a diferença é que para o DMT é a medida exata da dimensão no valor retido e o DMC é o valor imediatamente igual ou inferior a abertura nominal. 

Pode ser difícil a compreensão para alguns. Se for adotado em uma dosagem para o concreto o DMT como é feito usualmente a muitos anos (mais de um século..rsrsrs) tem-se misturas mais dispersas em relação a curva de Fuller, logo a dispersão torna-se bem maior o que conduz a misturas bem mais ásperas ou seja com maior teor de grossos. 

Quando se ajusta a curva de Fuller com o DMT, (que sempre digo ser a curva mãe de todas as curvas)  temos uma solução REAL e não uma solução EMPÍRICA em que se  adota um valor de uma peneira . Tenho visto varias pessoas que estão usando as planilhas que divulgo sem fazer esse ajuste, querendo facilitar o trabalho mas isso conduz a erros que por certamente tornam-se erros  grosseiros. Sei que o Solver facilita a apuração dos percentuais para cada agregado mas temos de dizer ao Solver o que queremos e deve-se dizer um valor apurado, um valor matemático. 

Veja o exemplo de uma mistura que foi resolvida pelo solver com o DMT= DMC, pode conduzir a erros muito grandes com a mudança dos % resolvidos. Este erro é mais acentuado quando o DMT tem uma diferença  maior:


Existe casos em que tem-se de utilizar britas lamelares, isso é possível sim no DPCON , mas tem-se de fazer um ajuste de finos, a literatura de concretos bombeados se recomenda utilizar até  10% a mais de finos. Não é simplesmente aumentar até 10% de areia e sim aumentar os finos que são uma parte das areias (agregado miúdo).



Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra.



Leia Mais

Planilha para vigas pelo Ftool !!!!

Parabéns ao NCEE pelo belíssimo trabalho, se cadastre no seu site  www.ncee.com.br - Núcleo de Capacitação em ENGENHARIA DE ESTRUTURAS e baixe a sua planilha para dimensionar e detalhar armaduras em vigas de concreto armado, veja sua aula logo abaixo de como fazer isso, tudo de acordo com a nova norma NBR6118/2014, mas para utilizar a planilha  é preciso fazer os arquivos de carregamentos pelo Ftool 3.01.



Link Ftool 3.01:
http://www.alis-sol.com.br/ftool/ 
http://www.clubedoconcreto.com.br/2016/09/ftool-301.html

Veja a vídeo aula , mas antes se cadastre e baixe a sua planilha e porque não fazer seu curso!!

Neste vídeo apresentamos o uso da ferramenta de cálculo gratuita disponível no site www.ncee.com.br para o Dimensionamento e Detalhamento de vigas de concreto armado submetidas a Flexão e Cortante.

Esta planilha permite calcular e detalhar as barras longitudinais positivas e negativas, considera o escalonamento destas com base na decalagem do diagrama de momento fletor e também calcula e detalha a armadura transversal (estribos).



Leia Mais

Ftool 3.01

Um Programa Gráfico-Interativo para Ensino de Comportamento de Estruturas 
Versão Educacional 3.01

Visão Geral

O Ftool é um programa que se destina ao ensino do comportamento estrutural de pórticos planos, ocupando um espaço pouco explorado por programas educativos, que se preocupam mais com o ensino das técnicas numéricas de análise, ou por versões educacionais de programas comerciais, mais preocupados em introduzir os estudantes às suas interfaces. Seu objetivo básico é motivar o aluno para aprender o comportamento estrutural. A experiência de ensino nesta área tem mostrado que o processo de aprendizado dos métodos de análise estrutural não é eficiente sem o conhecimento sobre o comportamento estrutural. É muito difícil motivar o aluno padrão a aprender a teoria dos métodos de análise sem entender como o modelo sendo analisado se comporta na prática. O processo de aprendizado dos métodos de análise melhoraria bastante se o estudante pudesse aprender sobre o comportamento estrutural simultaneamente.

Do seu objetivo básico decorre a necessidade do Ftool ser uma ferramenta simples, unindo em uma única interface recursos para uma eficiente criação e manipulação do modelo (pré-processamento) aliados a uma análise da estrutura rápida e transparente e a uma visualização de resultados rápida e efetiva (pós-processamento).

Os usuários desta versão educacional do programa estão livres de qualquer compromisso para usá-lo. Entretanto, nem o autor, nem a PUC-Rio, nem o Tecgraf/PUC-Rio, nem qualquer outra Instituição relacionada são responsáveis pelo uso ou mau uso do programa e de seus resultados. Os acima mencionados não têm nenhum dever legal ou responsabilidade para com qualquer pessoa ou companhia pelos danos causados direta ou indiretamente resultantes do uso de alguma informação ou do uso do programa aqui disponibilizado. O usuário é responsável por toda ou qualquer conclusão feita com o uso do programa. Não existe nenhum compromisso de bom funcionamento ou qualquer garantia.

Autoria do Ftool

Luiz Fernando Martha
Professor Associado
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
Departamento de Engenharia Civil e
Instituto Tecgraf/PUC-Rio (Instituto Tecgraf de Desenvolvimento de Software Técnico Científico)
Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea
22451-900 - Rio de Janeiro - BRASIL
Fone: 55+21+3527-1190
Fax: 55+21+3527-1195
e-mail: lfm@tecgraf.puc-rio.br
URL: http://www.tecgraf.puc-rio.br/~lfm

Download

Leia Mais

Nomogramm um exemplo de cálculo

 exemplo para uma obra com concreto para ser bombeado: 

durante a concretagem edifício com uma altura vertical de 65 m tem que precisa ter 40 m 3 de concreto em 1 hora.


Transporte de concreto fresco com Slump de 100 mm

A tubulação de transporte do concreto tem um diâmetro de 125 mm com cinco 90 ° cotovelos, dois joelhos de 30 ° e tem um comprimento horizontal de 110 m. 

Se considera que as bombas em trabalho terão um coeficiente de utilização de 0,75. 

Pelo nomogramm para determinar a componente horizontal da pressão de linha :

vazão = 40/0.75= 53.33 m3/h
DN= 125mm
equivalencia de curvas = (5 x 90 + 2 x30) / 30 = 17metros
comprimento 110+65+17=192 metros
Sump = 100mm (equivale 44cm espalhamento)
Pelo gráfico temos 34 bar
Bar pela altura 65 x 0.25= 16.25

resultados:
vazão de 53.33 m3/h
total de bar de trabalho = 34+16.25 = 50.25 bar
no quarto quadrante se tira então 2200KW

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra

leia as explicações em:

http://www.clubedoconcreto.com.br/2016/08/dimensionamento-de-uma-bomba-de.html


transportes, de concreto
Leia Mais
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010