Como preencher novamente com concreto? E com que concreto?

16 de setembro de 2013



Se você está chegando agora a esta série, nós o convidamos a ver antes os artigos anteriores. Isto para que você saiba como e porque um reparo deve ter o material danificado removido e a armadura protegida.

Há duas coisas bastante importantes a considerar nesta etapa:

- o adesivo - a ponte de aderência
- o tipo de microconcreto a ser usado no reparo

Então comecemos pelo primeiro: para que é necessário um adesivo?

Simples. Porque concreto novo não adere bem no concreto velho. E já que estamos falando de fazer um reparo da forma correta...

O que serve como adesivo, ou como também é chamado, de ponte de aderência?

a) o mais antigo e menos eficiente de todos, mas conhecido por tudo quanto é pedreiro - a boa e velha água. Não se liga o nome à pessoa, mas quando um pedreiro molha uma superfície de cimento para rebocar ou chapiscar, ele está promovendo uma espécie de ponte de aderência. É meio estranho chamar água de adesivo, é verdade, e é justamente por isso que é o sistema menos eficiente;

b) pasta de cimento - a aplicação de uma nata entre as camadas de concreto faz com que uma camada de "agente endurecedor" penetre nos poros das camadas de concreto, melhorando um pouco a adesão. É melhor que água, mas ainda é pouco eficiente;
c) emulsões de polímeros ("colas" de PVA, de base acrílica, de base SBR) - não só pela presença de água, mas também pelos polímeros, penetram na porosidade de ambas as camadas de concreto (a velha e a nova), formando uma boa ancoragem. Formam sistemas bastante úteis e eficientes em superfícies molhadas ou úmidas;


d) adesivos de base epóxi - acabam sendo os mais eficientes, por serem os que melhor se compatibilizam com o concreto e com o aço das armaduras, além de terem uma resistência química muito boa aos agentes corrosivos. Por esta razão são os mais usados, exceto nos casos onde há umidade, quando se prefere as emulsões.

Enfim, qual deles usar?

Depende de uma série de fatores:

- do estado em que se encontra o concreto base;
- do nível de umidade presente;
- do tipo de agente corrosivo que provocou o dano;
- da forma geométrica do reparo, e suas possibilidades de moldagem e formas;
- do tempo que se dispõe para o reparo (há casos onde a pressão de cronograma é alta, pois há fábricas paradas, lucros interrompidos, etc)
- e acima de tudo, depende do tipo de concreto que vai ser aplicado.

Então, antes de se dizer qual é o melhor adesivo, vejamos quais são os tipos de concreto que se pode usar nos reparos:

1) microconcreto fluido - é "micro" pois tem granulometria controlada, e já vem pre-misturado com os seus componentes devidamente dosados. Tudo para garantir melhor compactação, ausência de contração, etc. Como o nome diz, é fluido. Pode ser derramado facilmente, preenchendo muito bem os vãos e evitando vazios. Mas por ser fluido oferece uma dificuldade maior em reparos verticais, exigindo formas adequadas (e seus desmoldantes), bem como a construção de "cachimbos" para derrame do material e saída do ar;


2) argamassas poliméricas (argamassas controladas com adição de polímeros) para reparos de pouca espessura (ou profundidade) - como o nome já diz, servem para reparos de pouca espessura ( no máximo 20mm). São mais viscosas e conforme o tipo e fabricante, podem dispensar moldes mesmo em reparos verticais;

3) argamassas póliméricas para reparos profundos - similar ao caso anterior, mas permitindo camadas mais espessas;

4) argamassas especiais, epoxídicas ou com cimentos de cura rápida - argamassas destinadas a reparos onde pressa é fundamental, ou onde as condições são bastante adversas (um exemplo, vigas submersas em água do mar).


Enfim, o que se usa com quê?

material de reparoadesivo/ponte de aderência
microconcreto fluido em geometrias simples (horizontais)só agua resolveria (saturar bem a superfície)
microconcreto fluido em geometrias complicadasemulsões acrílicas ou PVA em áreas úmidas, ou epóxi em áreas secas
argamassas poliméricas em reparos pouco profundosemulsões acrílicas ou PVA em áreas úmidas, ou epóxi em áreas secas
argamassas poliméricas em reparos profundosemulsões acrílicas em áreas úmidas, ou epóxi em áreas secas
argamassas especiaisepóxi
qualquer sistema em reparos rápidosepóxi


Por mais genéricos que possamos tentar ser, a escolha adequada de um sistema de reparo requer responsabilidade e conhecimento da química envolvida em todo o cenário. Havendo qualquer tipo de dúvida, consulte um especialista.

Como proceder ao reparo?

a) prepare a área, deixando-a limpa

b) aplique a ponte de aderência escolhida/recomendada

c) se necessário, prepare a moldagem

d) aplique o concreto de reparo, conforme o sistema recomendado

e) faça o acabamento

http://www.protecto.com.br/artigos/reparo4.htm

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010