Fissuração do concreto devido à corrosão do aço

3 de outubro de 2014

A corrosão do aço no concreto pela formação da célula resulta reação electro-químicas em cracking (caracteristicamente paralelo ao reforço), ou a de laminação estilhaçamento do concreto.

Esta corrosão pode ocorrer devido ao ataque por cloretos e carbonatação.

Mecanismo de craqueamento

A corrosão do aço de craqueamento e os resultados de propagação mais profundo de craqueamento em dois passos sucessivos.

Em primeiro lugar

A produção da corrosão ocupa um volume várias vezes maior do que a original de aço de modo a que os resultados de formação de fissuras. Isto faz com que seja mais fácil para os agentes agressivos para ingressar em direção ao aço, com um consequente aumento na taxa de corrosão.

Em segundo lugar

O progresso da corrosão no ânodo reduz a área da seção transversal do aço, reduzindo assim a sua capacidade de carga, resultando em aumento de deflexão das rachaduras.

Fissuração do concreto devido à corrosão de Reforço

Localização da aparência

Estes são normalmente vistos nas colunas e vigas onde o ambiente é favorável à corrosão.

Fissuração do concreto devido à corrosão de Reforço

Causa de rachaduras

Normalmente concreto de má qualidade é submetido a esses tipos de rachaduras. Tampa transparente inadequada também torna fácil a intrusão de materiais agressivos como cloreto ou resultados carbonatação.

Fissuração do concreto devido à corrosão de Reforço

Remédio
Concreto de boa qualidade realizado com uma mistura adequada que depende do ambiente onde será realizada a obra com o concreto desejado. Fornecendo uma cobertura da armadura adequado também irá desencorajar rachaduras deste tipo.
Veja as coberturas, a serem utilizadas para cada tipo de obra, veja que tipo de meio agressivo está enquadrada e qual o fator água / cimento a ser utilizado. Norma NBR6118 de 2014.


2 comentários:

Anônimo disse...

Na Europa e Estados Unidos utilizam há 50 anos o Vergalhão Galvanizado por Imersão a Quente ( Galvanizado a fogo ), visto que, quando há penetração de carbonatos e cloretos, há também a redução de pH, fato que reinicia a corrosão do vergalhão dentro do concreto. No caso do Vergalhão Galvanizado, esta redução de pH é positiva, pois o zinco, revestimento do vergalhão galvanizado por imersão a quente, se mantêm passivado, ou seja, não se corroerá e consequentemente o concreto não trincará.

ruy guerra disse...

Bem interessante a sua colocação, pena que não tenhamos ainda este tipo de vergalhão aqui no Brasil.
Comentário muito construtivo, obrigado

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010