Momentos Limites de Guindastes

31 de maio de 2015

Veja como entender os limites de trabalho de um guindaste articulado com a publicação abaixo e visite seu site para ver outras publicações, onde tem indicação de programas comerciais para cálculo.
Momento de carga é o resultado da multiplicação do peso pela distância do centro da máquina, até o centro da carga, ou seja: obtenha a distância do centro de giro até o centro da carga e multiplique pelo peso da carga ( você irá obter o momento de carga), lembrando que você pode também ao invés de usar o peso, usar a “força” no cálculo. ( Não se esqueça de converter as medidas, se necessário).
Assim quando ouvir dizer que um guindaste articulado Munck, tem uma classificação de 30 toneladas, é porque o cálculo foi feito multiplicando o centro de giro pela força aplicada no cilindro, assim, este possui 30.000 Kg/f de capacidade no cilindro e obviamente esta vantagem perde força ao mudar o centro, aumentando o raio. Devendo ser respeitadas os limites da tabela de carga.

Exemplo:Um Guindaste articulado de 30 Toneladas (30.000Kg de Momento de carga), possui capacidade para içar 11.700Kg à uma distância de 2,5 metros do centro de carga, porem se você analisar a situação da operação, logo irá observar que uma carga precisa ser consideravelmente grande para possuir este peso; atribuindo isso ao equipamento em questão, podemos observar que 2,5 metros de raio do caminhão é pouco, uma vez que há interferências de espaço, como a sapata estabilizadora e o centro da carga situar-se alem dos 2,5 metros.

A imagem acima demonstra claramente o que acontece no caso de imprudências relativas ao desconhecimento da capacidade do equipamento com o peso da carga. (bom ai tem muitas outras possibilidades que podem ser plaúsiveis: má fixação do guindaste no chassi, trabalhar pela dianteira e por ai vai.)
Ja ouvi casos de engenheiros e Rigger´s cometerem essa falha em seus planos, atribuir o ponto de içamento de um lado da carga como centro de carga, isso não deve ser feito. Existe um cálculo para se descobrir o real centro de carga, onde irei postar em um outro post.
Quero lembrar que existe uma observação importante: Se na operação houvesse outro equipamento auxiliando o içamento no quadrante lateral ou traseiro, seria correto sim considerar o ponto de pega de um lado da carga como centro de carga.
De um modo geral podemos assim dizer que este equipamento iria apenas suspender a carga e sobrepor ela na sua carroceira de transporte; não conseguiria fazer muita coisa além disso e exigiria muito do equipamento; assim por razões de seguraça é fundamental ter muita cautela na aplicações destes equipamentos articulados, leve sempre em consideração que estes, foram feitos para cargas leves e obtem vantagens dos guindastes convencionais através da mobilidade e versatilidade, são sempre limitados em alcance e força.
Nos guindastes convencionais existem os chamados LMI – Load Moment Indicator (indicador de momento de carga), por fim este dispositivo fornece através de números no painel do computador, ou luzes e sons, informações de raio de operação, comprimento da lança, contra-peso agregado, velocidade do vento, carga bruta, força na sapata, numero de passadas de carga, ou linhas.
Utilizando-se das informações da tabela de carga do guindaste, o operador informa ao LMI, a quantidade de Contra-peso que ele agregou ao guindaste e as passadas de cabo(vale salientar que passadas de cabo, é a volta do cabo na roldana no moitão do guindaste ,e não, linha de cabo, tambem chamada popularmente de pernas de cabo.
Assim o LMI obtem dos sensores do guindaste e leitores as informações de comprimento de lança(Exemplo o PAT – dispositivo que constitui-se de um carretel de cabo que fica instalado na lateral da lança e a medida que se desenrola, fornece ao LMI o comprimento da lança;Grau da lança (obtido por sensor no cilindro da lança); com estes dados o LMI pode obter a altura da ponta da lança em relação ao solo, obtem o raio, o peso da carga, a força na sapata, a altura do moitão com relação ao solo e etc.. (são muitas as informações que o LMI pode fornecer ao operador para garantir a segurança na operação)

Sobre admin

Rigger Projetista em CAD, Especialista em assuntos relacionados a movimentaçao e transportes cargas por meio de guindastes, atuante em uma empresa locadora de guindastes no Brasil, colaborador da divulgaçao gratuita de assuntos derivados a guindastes e planejamento de operaçoes Rigging,fundador da comunidade Rigger no orkut, Fundamentador da criaçao do CBO para Rigger no Brasil. Contato: marcelo@rigger.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010