Cura do Concreto (tubos, blocos, etc)

12 de junho de 2013

A todo o conjunto de medidas que tem por finalidade evitar à evaporação prematura da água necessária a hidratação do cimento dá-se o nome de Cura do Concreto.


O não atendimento desta condição acarreta uma diminuição da resistência final do concreto e com possibilidade do aparecimento de fissuras no concreto.


Não havendo uma cura do concreto adequada e com a ação do vento, do sol, com baixa umidade relativa do ar, a água contida no concreto irá evaporar prejudicando assim as reações de hidratação do cimento.
Se acontecer tal fato, com a evaporação prematura da água, teremos um concreto com maior retração que irá ocasionar fissuras e trincas, e com a resistência mecânica afetada e com menor proteção aos ataques de agentes externos diminuindo a sua durabilidade.


Para termos um produto de qualidade é incontestável que a cura do concreto é imprescindível.

Existem diversos tipos de cura: lamina de água, camada de areia saturada, sacos de pano molhado (não utilizar sacos de açúcar), película de cura, cura a vapor, cura por névoa, entre outros.

Logo a cura tem uma forte influência sobre as propriedades do concreto endurecido tais como resistência, durabilidade, impermeabilidade à água, resistência ao desgaste, estabilidade de volume e resistência ao congelamento e descongelamento.

Explicando melhor, quando o cimento portland é misturado com água, uma reação química chamada de hidratação ocorre. À medida que esta reação é completada determina a resistência, a durabilidade e a densidade do concreto. Mais o concreto fresco contém consideravelmente mais do que a água suficiente para a hidratação completa do cimento, no entanto, qualquer perda apreciável de água por evaporação ou outro modo irá retardar ou impedir a hidratação completa. Uma vez que a hidratação é relativamente rápida nos primeiros dias após o concreto fresco é colocado, é importante que a água a ser retida, durante este período, isto é, por evaporação, deva ser evitada ou pelo menos reduzida.

Para o caso de blocos e pavers de concreto tem-se utilizado câmaras de cura por névoa, onde o tempo com e sem névoa são controlados. Esta água para se produzir a névoa deve ter uma temperatura de aproximadamente 13C, para o produto deve se alcançar uma temperatura de 22C. Assim quando a água entra em contato com a partícula de cimento (que reage a 15C) esta vai retardar a reação da partícula exterior do cimento, com isso se permite que a água contida no concreto penetre mais para o seu interior.

Primeiro se deve expor durante algum tempo os produtos a uma névoa para que se permita o ajuste da temperatura superior aos 15C, então se realiza o período sem névoa e assim sucessivamente até fechar um ciclo de aproximadamente de 12Horas.

Existem variáveis que são os tipos de atomizadores, sua distancia, sua quantidade, tamanho das câmaras e entre outras tudo deve ser levado em conta na sua instalação.Para verificação basta ver dois pontos: um ensaio comparativo de resistência e o aspecto visual.

Veja este video com camara de cura com névoa:


Cura de tubos de concreto:



 
Clube do Concreto | by TNB ©2010