Tempos e Movimentos

22 de junho de 2013



Definição do estudo de tempos e movimentos

·         Desenvolver o sistema e o método preferido, o de menor custo.
·         Padronizar esse sistema e métodos
.        Determinar o tempo gasto por cada pessoa qualificada e devidamente treinada, trabalhando em um ritmo normal, para executar uma tarefa ou operação especifica.
·         Orientar o treinamento do trabalhador no método preferido.
·         Conhecer as técnicas para efetuar cronometragem

Objetivos

·         Fornecer dados para a determinação de custos
·         Fornecer dados para a seleção e treinamento.
·         Fornecer dados para o planejamento, programação e controle da produção.
·         Prevenir acidentes e doenças do trabalho (DORT)
·         Melhorar os métodos de Trabalho

Equipamento para estudo de tempos

·         Cronômetro
·         Prancheta
·         Folhas para análise para a cronometragem
·         Máquina de filmar com motor síncrono ou com micro cronometro na cena a fim de indicar o tempo

Elementos

·         Da mesma forma que o processo produtivo é dividido em etapas, chamadas de operações.
·         Toda operação é dividida em etapas que são chamados elementos
·         Elemento de uma operação consiste em um ou vários movimentos combinado em uma determinada sequência para alcançarmos um certo resultado.

Regras para divisão em elementos


·         Escolher elementos com duração mais curta possível, desde que possam ser cronometradas (nunca menos de 0,04 min).
·         Definir claramente os pontos de separação entre os elementos, para permitir uma leitura exata dos tempos.
·         Os elementos de máquinas devem ser separados dos manuais.
·         Separar os elementos regulares dos irregulares.


Tipos de elementos

·         Regulares: São aqueles que sempre se repetem ao executar uma operação.
·         Irregulares: São aqueles que ocorrem durante a execução de uma tarefa, mas, não se repetem a cada operação. (Afiação ou troca de ferramenta)
·         Estranhos: São aqueles que ocorrem durante a cronometragem, mas não fazem parte necessariamente da operação observada (não são incluídos).

Tomadas de tempos

·         Saber separar os elementos para cronometragem. (quando o operador solta a peça)
·         Não se distrair na tomada de tempo.
·         Tirar a atenção somente quanto for fazer as anotações

Tempo padrão

É o tempo necessário para realizar uma operação dentro de um método estabelecido, em condições determinadas, realizada por um operário apto e treinado, possuindo habilidades médias e trabalhando com esforço médio.

Tolerâncias

Necessidades Fisiológicas:
·         Idas ao Banheiro
·         Lavar-se
·         Intervalos para refeição
·         Conversas relativas ao trabalho
·         Todas as interrupções para atender as necessidades pessoais

Fadiga pelo esforço físico
·         Esforço em Kg
·         Posição em que é realizado este esforço equipamentos utilizados que dificultam certos movimentos
·         Fadiga local (localizada em certos membros do corpo humano)

Fadiga Mental
·         Atenção requerida no trabalho
·         Perigo de acidente

Fadiga por monotonia
·         Onde não se exige do funcionário agilidade
·         Aconselha-se colocar mulheres nestes postos, após testes psicológicos.

Fadiga por ambientação
·         Iluminação
·         Temperatura
·         Humidade
·         Ruídos
·         Composição do ar

Fadiga pela duração da jornada
·         Muito tempo trabalhando

Fatores para as tolerâncias

Esforço operador Baixo    acrescentar tempox1.15
Esforço operador Médio   acrescentar tempox1. 18
Esforço operador Alto       acrescentar tempox1. 20
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010