Determinação da Massa Unitária e Volume de Vazios (NBR NM 45:2006)

16 de julho de 2013

1. INTRODUÇÃO
Massa unitária de um agregado é a relação entre sua massa e seu volume sem compactar,
considerando-se também os vazios entre os grãos. É utilizada para transformar massa em
volume e vice-versa. Massa unitária compactada é a relação entre sua massa e seu volume
compactado segundo um determinado processo, considerando-se também os vazios entre
os grãos. Pode ser feita com um único agregado ou com uma composição destes.

2. FINALIDADE
Utilizado na transformação de massa para volume com vazios entre os grãos de agregados.
Aplicação em concreto dosado em volume e para controle de recebimento e estocagem de
agregados em volumes. A massa unitária também serve como parâmetro para classificação
do agregado quanto à densidade.

3. AMOSTRA
a. Separar amostra com aproximadamente 150 % do volume do recipiente de ensaio.
b. Secar em estufa a (105 ± 5°) °C.
4. EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS
a. Balança com resolução de 50 g.
b. Concha de agregados, de fundo plano.
c. Estufa para 105 (± 5) °C.
d. Haste de adensamento com extremidade semi-esférica (16 x 600 mm).
e. Régua metálica com comprimento mínimo de 50 cm.
f. Recipiente metálico cilíndrico, rígido e com alças, com o volume de acordo com a Tabela 1

5. METODO A - MASSA UNITÁRIA COMPACTADA DE AGREGADO COM DMÁX £ 37,5
MM
a. Determinar a massa do recipiente vazio (mr), em kg.
b.Secar o material na estufa (100°C a 110°C), até m assa constante (aproximadamente 24
horas).
c. Com a material seco enchê-lo em 3 camadas de 1/3 da sua altura e, em cada camada,
aplicar 25 golpes com a haste, distribuídos uniformemente. Na primeira camada, evitar
atingir o fundo do recipiente e nas demais evitar atingir a camada inferior.
d. Nivelar a superfície com a régua metálica.
e. Determinar a massa do conjunto recipiente e agregado (mar), em kg.

6. MÉTODO B - MASSA UNITÁRIA COMPACTADA DE AGEGADO COM DMÁX > 37,5
MM
a. Determinar a massa do recipiente vazio (mr), em kg.
b. Com o material seco enchê-lo em 3 camadas de mesma altura. Adensar cada camada
elevando os lados opostos do recipiente cerca de 5 cm e deixando-o cair, sendo 25 vezes
de cada lado.
c. Nivelar a superfície final com a régua metálica.
d. Determinar a massa do conjunto (mar), em kg.

7. MÉTODO C - MASSA UNITÁRIA SOLTA DE AGREGADO SECO OU ÚMIDO
a. Determinar a massa do recipiente vazio (mr), em kg.
b. Enchê-lo até transbordar, usando concha de agregados e despejando o material de uma
altura de 5 cm da borda superior do recipiente. Evitar a segregação do agregado.
c. Nivelar a camada superior com a régua metálica (mar), em kg.
d. Nota: Ensaio com o material seco, o mesmo deverá ser secado na estufa até massa
constante normalmente 24 + 4 horas

8. CÁLCULO DA MASSA UNITÁRIA
a. Calcular as massas unitárias pela fórmula:
onde: rap = massa unitária do agregado, em kg/m3.
V = volume do recipiente, em m3.
b. Se necessário calcular a massa unitária na condição saturada superfície seca, usar a
seguinte fórmula:

onde: ras = massa unitária do agregado, em kg/m3.
A unidade poderá ser apresentada em kg/dm3 ou T/m3.
A = absorção do agregado, determinada de acordo com a NM 30 ou a NM 53.
9. Cálculo do índice de vazios
a) Calcular o índice de vazios empregando a fórmula seguinte:
onde: Ev = índice de volume de vazios nos agregados, em porcentagem.
d1 = massa específica relativa do agregado seco, determinada conforme NM 52 ou
NM
rw = massa específica da água, em kg/m3.
rap = massa unitária média do agregado, em kg/m3.

10. RESULTADOS E RELATÓRIO
a. A média dos resultados é calculada com pelo menos 3 determinações, com desvio menor
que 1%.
b. No relatório, informar os resultados de massa unitária com aproximação de 10 kg/m3.
c. Informar os resultados de índice de vazios com aproximação de 1%.
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010