Reaproveitamento de Água para a produção de Concreto

23 de julho de 2013

No âmbito da engenharia civil, o uso da água é de suma importância no amassamento das misturas cimentíceas, sobretudo os concretos e argamassas. A mistura dos materias é feita dentro de um caminhão betoneira que fará o transporte do concreto até o seu local de uso. Para cada traço de concreto, entretanto, os caminhões betoneiras devem ser lavados para evitar contaminação da nova mistura assim como o acúmulo de incrustações na superfície interna do balão. Esse processo de limpeza dos caminhões exige aproximadamente 700 litros de água por caminhão e torna a água altamente básica, o que pode contaminar o solo ou afetar organismos aquáticos, caso seu descarte seja efetuado sem tratamento prévio.
Neste contexto, foi adicionado em novembro de 2009 à Norma Brasileira 15900, intitulada “Água para Amassamento do Concreto”, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o anexo A – “Requisitos para Utilização de Água Recuperada de Processos de Preparo do Concreto”, permitindo às empresas reuso da água, sem comprometer a qualidade do produto final.

Antigamente, para a produção de concreto somente era utilizada água potável. No entanto, com a disseminação das ideias do desenvolvimento sustentável, tendo em vista a quantidade do uso de água para amassamento, atualmente passaram a utilizar vários tipos de água, descritos a seguir:
  • Água de abastecimento público: é adequada para uso em concreto e não necessita ser ensaiada;
  • Água de fontes subterrâneas: pode ser adequada para uso em concreto, mas deve ser ensaiada;
  • Água natural de superfície, água de captação fluvial e água residual industrial: pode ser adequada para uso em concreto, mas deve ser ensaiada; são exemplos de águas residuais industriais aquelas recuperadas de processos de resfriamentos, jateamento, corte, fresagem e polimento de concretos endurecidos;
  • Água salobra: somente pode ser usada para concreto não armado, mas deve ser ensaiada; de maneira geral, não é adequada à preparação de concreto protendido ou armado, devido aos seus teores elevados de cloretos, que podem comprometer a durabilidade do concreto pela corrosão das armaduras;
  • Água de esgoto e água proveniente de esgoto tratado: não é adequada para uso em concreto;
O BATE LASTRO
O Bate lastro é a estrutura montada para a lavagem de caminhões betoneira com sistema de decantação e filtragem. A água da lavagem dos caminhões é, então reaproveitada para lavagem do pátio, de caminhões, e outros equipamentos. Com esse método de reaproveitamento há considerável redução no consumo de água.
A utilização do Bate Lastro diminui o efeito nocivo do despejo de resíduos provenientes da lavagem de caminhões betoneira. O método revela-se também dos um trunfo econômico para as concreteiras que o utilizam, seja evitando o desperdício da água, recurso hídrico dotado de valor econômico, ou de maneira indireta, com o reconhecimento de mercado de que a empresa em questão tem medidas vigentes no que diz respeito à consciência ambiental.

Fontes: —ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15900. Água para amassamento de concreto.  Rio de Janeiro, 2009; Revista Concreto & Construções


 
Clube do Concreto | by TNB ©2010