CONCRETAGEM DE PISO INDUSTRIAL: O PLANEJAMENTO DA EXECUÇÃO

15 de julho de 2020


· Bel

concretagem de piso industrial

Para garantir qualidade e durabilidade na concretagem de pisos industriais, é fundamental ter cuidado no planejamento e segui-lo à risca durante a execução. Para ajudar engenheiros nessa área, existe uma sequência de passos simples que garantem o seu sucesso tais quais adensamento, nivelamento e acabamento.

A concretagem de piso industrial exige uma atenção especial dos profissionais de engenharia. A estrutura precisa resistir e distribuir grandes esforços verticais, permitir rolamento, limpeza e segurança a cargas móveis em veículos, além de aguentar esforços mecânicos e ataques químicos ou biológicos.

É por isso que hoje convidamos Marcel Chodounsky, diretor da Trima Engenharia, para explicar passo a passo como é feito o planejamento e a execução para ter qualidade, economia e garantia de segurança no piso de concreto nesse tipo de uso. Confira!

Estudos preliminares e elaboração do projeto para concretagem de piso industrial

Segundo o próprio Marcel aponta, a execução de um piso industrial (dada as suas características) envolve muitos processos e profissionais multidisciplinares para a sua conclusão bem-sucedida.

Por isso, é importante sempre começar pela busca de uma visão completa de todos os fatores que serão relevantes para a concretagem. Como mencionado por Marcel:

“Pode-se dizer que o projeto do piso deve contemplar 5 questões básicas que determinam o desempenho do piso industrial:

·        ocorrência de fissuras;

·        empenamentos e recalques;

·        tolerâncias superficiais;

·        resistência à abrasão e à química;

·        custo da manutenção.”

Reunião técnica com atores

Realizados os estudos necessários e desenhado o projeto inicial, é hora de reunir os atores responsáveis por cada etapa dessa execução: gerenciador, projetista, executor, concreteira, controle tecnológico etc.

A ideia aqui é apresentar o projeto e buscar o entendimento de todas as partes sobre o que será feito, quando será feito e o porquê. Só assim você tem a certeza de um processo otimizado e sem surpresas no meio do caminho.

Marcel completa afirmando “nossa experiência mostra que, cumprida esta etapa com eficácia, a probabilidade de sucesso da obra aumenta bastante”.

Execução da placa teste

Outra sugestão interessante é a execução de uma placa teste, uma pequena seção do piso, com todas as etapas feitas corretamente e em sequência para prever a qualidade e a viabilidade do resultado final.

Essa placa será como o ensaio geral, que colocará todos os atores a par de suas responsabilidades, servirá de referência de qualidade e resolverá desde o início questões que poderiam surgir durante a real execução do piso.

Regularização e compactação do subleito

O desempenho de um piso industrial está diretamente ligado à resistência e estabilidade do subleito. Por isso, os estudos e ensaios são tão importantes para buscar soluções adequadas.

O engenheiro convidado diz que o principal é “garantir a sua resistência (CBR), a sua compactação (grau de compactação) e o nivelamento, de modo a garantir as espessuras corretas de sub-base e placa de concreto”.

Execução da sub-base

A sub-base é a próxima etapa, usualmente constituída de material granular, como brita, cascalhos lateríticos e solo-cimento.

Na sua execução, a dica é prestar atenção a algumas características fundamentais: controle da espessura, grau de compactação e nivelamento.

Instalação da barreira de vapor e/ou camada deslizante

A umidade ascendente pode diminuir consideravelmente a vida útil de uma estrutura que sofre muito estresse, como o concreto do piso industrial.

O material mais comum utilizado para nesse caso é a lona de polietileno aplicada sob a placa de concreto, mas a necessidade de instalação e a solução empregada é uma definição de responsabilidade do projetista — e não deve ser alterada na obra sem autorização formal.

Assentamento das formas

Solo preparado, é hora de começar a assentar as formas. Marcel lembra que “em pisos industriais com exigências elevadas de nivelamento (por exemplo, FL ≥ 35), é altamente recomendado que o nivelamento das formas seja feito com o equipamento ótico” — mais preciso.

Parece óbvia a dica, mas cuidado com formas em mau estado de conservação. Formas empenadas ou desalinhadas devem ser descartadas.

Posicionamento das armaduras

O posicionamento das armaduras é muito importante para evitar fissuras e problemas estruturais (apesar de mais raros) que comprometam a vida útil do piso.

Marcel conta que o uso dos espaçadores são vitais para o sucesso dessa etapa, tanto na armadura inferior (normalmente espaçadores plásticos ou de concreto) quanto na superior (treliças metálicas ou sistemas equivalentes).

Uma alternativa para economizar e otimizar essa etapa é o uso de concreto reforçado com fibras de aço — técnica que vem se popularizando na execução de pisos industriais.

A sua grande vantagem é dispensar os trabalhos de armação, posicionamento de armadura e espaçadores. Ele é perfeito para casos em que há limitação no acesso de equipamentos ao canteiro de obra e para dar agilidade nesses processo, sem abrir mão da qualidade e durabilidade da estrutura.

Concretagem do piso industrial

Depois de todos esses processos, chega a hora da concretagem propriamente dita, que engloba primeiro a operação de lançamento, seguida pelos seguintes passos:

·        Adensamento: em pisos de concreto, deve ser realizado preferencialmente por vibração superficial, com o emprego de vibradores de imersão sempre que o superficial se mostrar insuficiente;

·        Nivelamento: consiste na retirada do excesso de concreto da superfície, de modo a deixá-la com o nível desejado. Podem ser empregadas réguas de alumínios réguas vibratórias ou preferencialmente equipamento denominado Laser Screed®;

·        Acabamento: na concretagem de piso industrial, esse passo pode ser realizado por acabadoras simples ou duplas, passando pelas etapas de flotação e espelhamento — resultando em uma superfície densa e lisa.

Para a fase de acabamento, Marcel ainda alerta: “deve-se proibir a aspersão de água durante qualquer etapa do acabamento do concreto, principalmente nas fases de flotação e espelhamento. A aspersão indica que a operação está sendo realizada em tempo inadequado”.

Cura do concreto

A cura do concreto em piso industrial pode ser úmida ou química, exceto em aplicação de revestimento resinado. O tempo necessário vai variar em função dos seguintes aspectos:

·        relação água/cimento e o grau de hidratação do concreto;

·        tipo de cimento;

·        condições locais (temperatura, vento e umidade relativa do ar).

Segundo o engenheiro da Trima, “o mais comum é um período mínimo de 7 dias, no qual o piso deverá ser isolado, mantido saturado e sem aplicação de nenhuma carga”.

Execução das juntas

O corte e posterior tratamento das juntas é o último passo para garantir um piso industrial de qualidade e duradouro. É como Marcel diz:

“Uma vez que o corte da junta é executado com o objetivo de induzir o aparecimento de fissuras em locais preestabelecidos, o corte deve ser feito o mais cedo possível — atentando-se somente para a ocorrência de quebras das bordas das juntas (esborcinamentos), que indicam que o concreto não apresenta ainda resistência suficiente.

Nessa situação, a execução do corte deve ser postergada, efetuando-se novas tentativas a cada uma ou duas horas. Iniciada a execução do corte de uma junta, mesmo que verificada a ocorrência de esborcinamento, o trabalho (corte daquela junta específica) deve ser finalizado.”

Como a quebra das bordas é a patologia mais frequente encontrada nesse tipo de estrutura, o tratamento e a selagem final podem ser cruciais para transformar o seu trabalho em satisfação aos clientes e usuários.

Afinal, essa é a importância maior do planejamento na execução de obras: prever obstáculos para se antecipar, otimizar processos e ter o melhor resultado possível, economizando tempo e dinheiro. Na concretagem de piso industrial, isso não é diferente.

Quando falamos em pisos industriais, sabemos que soluções para evitar revestimentos e problemas operacionais normalmente são prioridades de quem trabalha no setor. Por isso, conheça agora 3 soluções para pisos industriais de alto desempenho!





1 comentários:

Unknown disse...

Por favor teria passo a passo como e espalhada a treliça e malha e como e colocado barras transferência?.. Obrigada

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010