Empacotamento (11) Andreassen modificado X Fuller

15 de janeiro de 2014

Vou agora depois de publicar os diversos programas de empacotamento tentar mostrar a diferença entre a formulação de Andreassen modificado e a formulação de Fuller.

Montei uma planilha em Excel que está bastante elucidativa. 

Como parâmetros para Andreassen, vamos a esta planilha onde temos adotado para comparação neste estudo:

q= 0.3
dm= 0.15mm
D= 19mm
Fórmula= (d^q - dm^q) / (D^q - dm^q)*100

Para Fuller com os seguintes parâmetros:

q= 0.5
Fórmula= (d/D)^q

É a seguinte explicação do CORTE  de 0.15mm na curva de Andreassen modificada :

-os agregados graúdos (britas) aqui no Brasil não são lavados e a sua granulometria de finos é sempre alterada com as chuvas (telas de peneiras entupidas).

-vários autores da Espanha já teem divulgado que o CORTE na curva de Fuller deveria ser dado em 0.15mm, o que justifica porque as duas curvas tem praticamente a mesma parabola quando é realizada este CORTE.

-quando se adota o CORTE em 0.15mm a curva de Fuller tende a curva de Andreassen modificada conforme planilha mostrada abaixo, onde foi adotada neste estudo com D=19mm.


Algumas observações agora podem ser feitas:

- Na peneira 0.30mm o percentual de passante de Andreassen fica sendo menor devido ao CORTE em 0.15mm. Se fosse feito o CORTE em 0.30mm um percentual de diferença maior iria para a peneira superior ou seja 0.60mm e assim sucessivamente.

-Os percentuais de Fuller são coerentes com os de Andreassen modificado.

-Muitos tecnologistas tem feito estudos incluindo nestas curvas o cimento e as adições (microsilica, metacaulim etc), mas os agregados graúdos em sua parte fina são EXAGERADAMENTE variaveis isto é claro dependendo do fornecedor da pedreira.

Vou agora mostrar uma granulometria de uma mistura realizada com a minha Dosagem que venho divulgando versus o  empacotamento feito no programa que divulguei o sofwtare da ELKEM o EMMA.

Esta mistura está hoje sendo feita na empresa de Caruaru - INBRAC onde trabalho.Este traço é de concreto plástico  sendo utilizado para concretos com 60Mpa aos 28 dias  e sem nenhuma adição . Este traço alcança cerca de 20Mpa em 6 horas e utilizamos ATÉ para produzir peças de GRANDE PORTE (qualquer peça da fábrica ex: tesouras de 27mts) em dois ciclos por dia.

Veja o gráfico da ELKEM/EMMA:


Observem que a fuga na curva se deu na peneira onde efetuou-se o CORTE que foi em0.15mm.

Logo conclui-se que nesta mistura para concreto 60Mpa atende as expectativas. A curva de Fuller atende a curva de Andreassen modificada.

Quero também dizer que esta mistura diminuiu o tempo de enchimento das formas devido ao empacotamento dos grãos.

Veja como foi o enquadramento desta mistura na curva de Fuller feita por meu método de dosagem :


Me coloco ao dispor de quem solicitar para esclarecimentos que vierem a ser feitos,

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra




2 comentários:

tiago disse...

Como realizou a dosagem utilizando o método de empacotamento de partículas? Estou com dificuldade de entender como encontrar a proporção dos materiais pela formula de Andreassen modificada!! Irei iniciar uma pesquisa nessa área e estou com dificuldade em entender o método se puder me ajudar eu agradeceria. Desde de já Muito Obrigado

ruy guerra disse...

Boa noite Tiago,

Fica mais fácil entender se baixar a planilha que disponibilizo no link abaixo:
http://minhateca.com.br/clubedoconcreto/Andreassen+x+Fuller,498350665.xls

Clique sobre a célula e confira as fórmulas para seu entendimento.O corte em 0.15mm é o valor de "dm=0.15".

Você pode ir na aba superior do Excel em FÓRMULAS e depois clicar em RASTREAR PRECEDENTES o que irá facilitar seu entendimento da fórmula em questão.

Qualquer dúvida restante pode me contatar pelo meu e-mail:
clubedoconcreto@gmail.com

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010