Dosagem Paramétrica do Concreto - explicações

8 de julho de 2014

Vou tentar fazer uma explicação sobre ao meu método sobre dosagem do concreto que venho divulgando, onde já se baixaram mais de 1.700 vezes esta planilha de dosagem.

O método se difere em diversos itens, os quais foram relegados por muitos técnicos. A dosagem por este método se realiza por meio de se fixar valores para se definir outros valores e isto nada mais é do que definir parâmetros. Vejamos as etapas desta dosagem,
  


A dosagem é realizada em quatro passos (Etapas):

Primeiro passo: mistura ideal dos agregados com aproximação à curva de Fuller.

Segundo passo: determinação do teor de água da mistura encontrada. 
Terceiro passo: com a adoção de diversos fatores água/cimento, teremos os traços para se obter as resistências do concreto e/ou das peças que serão produzidas, obtendo as formulas de correlação. 

Quarto passo: traço final obtido fórmula de correlação a/c versus resistência.

É necessário para o inicio do primeiro passo se obter as granulometrias dos agregados onde se realiza o enquadramento com a curva de Fuller, aqui houve uma necessidade de se obter um ajuste, este ajuste foi feito com a introdução da Dimensão Máxima Teórica-DMT. O DMT nada mais é que puxar a curva de Fuller para o seu valor matemático, ou seja, é colocar a curva da mistura em sua dimensão máxima real, isto já foi previsto por Abrams (Leia aqui). O parâmetro aqui neste primeiro passo foi com a curva de Fuller, onde se partiu com a definição dos percentuais da mistura com base nos valores de Fuller.

Para o segundo passo se procura o teor de água para a mistura encontrada e com aditivos e aglomerantes que vão ser utilizados. É bem simples: temos que utilizar algum parâmetro para definir a água inicial desta mistura encontrada. Existem diversas tabelas para teores de água por m3 de concreto em função da trabalhabilidade requerida e de sua dimensão máxima. Com este teor se realiza um traço inicial e se ajusta o teor de água até o ponto certo. Para esta mistura inicial com o teor de água ideal temos que realizar a medição deste teor, aí é onde entre o famoso A% de Lobo Carneiro (Leia aqui) - o teor de água/materiais secos, ou seja, a umidade deste concreto.

Agora já temos:
  • Os percentuais para a mistura
  • O teor de água da mistura
Então procuramos agora com o terceiro passo procuramos obter as curvas de correlação do fator água/cimento versus resistência sem fazer "CHUTES" por curvas existentes. Com o cimento e aditivos a serem utilizados se produz quatro traços com a/c diferentes e se moldam os CP'S para diversas idades, é a famosa curva de Abrams (quase) que é realizada com os materiais disponíveis para a dosagem. Os parâmetros são obtidos com fórmulas de a/c para resistências em diversas idades.

E finalmente (já me disseram que é trabalhoso, mas é exato!), com as fórmulas obtidas e com a resistência requerida pelo projeto temos o TRAÇO FINAL, que foi obtido totalmente através de parâmetros... 

Resta agora dar um nome, pensei em DPCON - Dosagem Paramétrica do Concreto.

Foi refeita a planilha de dosagem e esta nova planilha estarei em breve comercializando com um Blog Restrito onde temos diversas explicações sobre esta planilha. 

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010