Passo a passo do processo de construção da laje treliçada

4 de julho de 2014

Primeiramente: O que são lajes pré-fabricadas?   

São denominadas lajes pré-fabricadas todas aquelas cujas as partes constituintes são fabricadas, em larga escala, por industrias. Existem diversos tipos de lajes pré-fabricadas, as mais utilizadas são as vigotas treliçadas e as vigotas de concreto armado ou protendido.

O que é vigota?

As vigotas de concreto armado ou protendido tem a seção em "T" invertido, com armaduras.

As vigotas treliçadas são constituídas por uma armadura em forma de uma treliça que será parcialmente englobada ao concreto, que é estrutural, pelo seu banzo inferior.Este conjunto do concreto com a treliça fornece uma boa resistência é que é de fácil manuseio.  

Utilização:

Este sistema de construção tem a vantagem de construção para pequenas obras e até mesmo em edificios de pequeno porte devido ao seu comportamento estrutural que é aliado com bastante facilidade para sua execução.

Sistema:

O sistema é composto por vigotas e blocos. 

As vigotas são apoiadas em paredes ou vigas, com pontaletes provisoriamente.

Os blocos que podem ser de: EPS/cerâmico ou de concreto são os elementos repousam sobre as vigotas e estes elementos  são os que servem de formas para a concretagem da capa de compressão.As dimensões destes blocos são padronizadas com alturas de 7/8/10/12/16/20/24/29 cm.

O concreto da capa é lançado na própria obra.

Na capa deste concreto é colocada uma camada de malha eletro soldada se estende ao longo da laje, que são bem leves, para servir de reforço contra os efeitos da temperatura e como uma camada de compressão, esta malha de ferro é a chamada malha de distribuição.

A laje então fica integrada na estrutura das paredes com vigas que são colocadas em todo o perímetro das paredes.

Por este conjunto de vigotas e blocos coma a concretagem da capa de compressão que também preenche os espaços vazios sobre as vigotas se convertem em uma laje.

Eis como fica a sua execução: 



PASSO 1: Escoramento

Pontaletes com suporte de nivelamento que são removidos após 7 dias de cura do concreto. Pontaletes de  3 "x 3" são colocados com espaçamentos que dependem da sobre carga de utilização e com um máximo de espaçamento de 1,50mts com tábuas em pé de 12" para servir de apoio temporário às vigotas.

Neste passo deve ser executada a contra-flecha indicada pelo fornecedor das lajes.Este recurso é utilizado para compensar as deformações devidas as ações sobre as lajes. Nem sempre será necessária mas deverá ser utilizado com RIGOR durante a execução do escoramento. 











PASSO 2: COLOCAÇÃO DAS TRELIÇAS

Coloque vigas apoiadas sobre as paredes que definimos como a nossa laje.
As vigotas são colocadas manualmente nas paredes por carregadores.











PASSO 3: ALINHAMENTO DAS VIGOTAS

Os blocos são colocados nas extremidades das vigotas para obter a separação correta e também para facilitar a colocação posterior dos próximos blocos.









PASSO 4: COLOCAÇÃO DOS BLOCOS

Os blocos são colocados com cuidado para obedecer o alinhamento que foi estabelecido pelo item 3.Toda a colocação é feita manualmente.













PASSO 5: AS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS


Após a colocação das vigotas e dos blocos, as mangueiras são colocadas para a instalação elétrica.Estas são colocados nas paredes e nos orifícios de saída dos blocos.É necessário para um bloco que é removido para a instalação de caixas, se colocar uma forma por baixo para que o concreto da capa seja lançado. É colocado nesta forma pequenos pedaços de aço para enrijecer o local das caixas elétricas. Asim também é feito para as instalações de água e para as instalações sanitárias se for necessário.






PASSO 6: MALHA DE DISTRIBUIÇÃO E NEGATIVOS

A armadura de distribuição deve ser utilizada em todas as lajes, a ferragem deve ser distribuída no sentido transversal às vigotas com ferros na bitola 5.0 (3/16") espaçadas no máximo a cada 30cm. Esta armadura é importante, pois vai evitar o fissuramento do concreto por cargas concentradas e pelo efeito da temperatura.

A ferragem negativa é utilizado para garantir a situação de apoio das vigas tanto nas laterais como nos apoios intermediários formando a continuidade nos encontros de vigas. Deve ser distribuída conforme o projeto fornecido pelo fabricante das lajes.













PASSO 7: CAPEAMENTO

Espalhe bem o concreto preenchendo todos os espaços vazios, principalmente nos encontros entre as vigas e lajotas garantindo a solidez do conjunto, utilizando sempre moto vibradores.

Utilizar um concreto estrutural (estas medidas são somente uma sugestão, cada obra tem suas necessidades particulares, portanto consulte um engenheiro antes de fazer o concreto) nas seguintes proporções:

. 1 saco de cimento
. 4 latas de areia
. 5 1/2 latas de pedra ou pedrisco
. 1 1/4 latas de água

As medidas são para lata de 18 litros.

O lançamento deve ser feito com cuidado para não sobrecarregar a laje em pontos isolados.

O adensamento poderá ser feito com simples batidas de desempenadeira ou com o auxílio de vibradores.




Não esquecer que a altura do concreto deve ser de acordo com o projeto fornecido pelo fabricante.

O concreto deve cobrir completamente todas as tubulações embutidas na laje.

Os conduítes e caixas de eletricidade devem estar fixados nas suas posições definitivas antes da concretagem .

Caso seja necessário, colocar qualquer ferragem complementar, seguir as instruções do fabricante para sua montagem.

Nunca pisar diretamente sobre os blocos. Colocar tábuas sobre as vigotas no sentido transversal.

Sempre que possível faça a concretagem das vigas da estrutura juntamente com a Laje.











PASSO 7: CURA
O concreto fresco exposto ao sol e ao vento perde muito rapidamente por evaporação a água da mistura, antes que tenha endurecido. Como essa água é indispensável, resultará em um concreto fraco.

Por isto se fazem necessárias medidas que visem impedir aquela evaporação, ou seja, proceder a cura do concreto.

O fator mais importante na cura do concreto é promover uma ação que garanta água suficiente para que todo o processo de reação química do cimento se complete.Se o concreto não for curado, ficará sujeito à fissuras em sua superfície.

Um concreto não curado, ou mal curado, pode ter resistência até 30% mais baixa, além de ser muito vulnerável aos agentes agressivos, devido a grande quantidade de fissuras que se formam, às vezes imperceptíveis a olho nu.

Quanto tempo é o ideal para ficar molhando a laje?

É necessário a molhagem freqüente do concreto evitando que a superfície chegue a secar.
Agora, uma dica simples para que a laje fique úmida por mais tempo tempo é a seguinte:

a) junte os sacos vazios de cimento, molhe-os bastante e coloque-os em cima da laje.

b) Aplicação de folhas de papel , de tecidos (aniagem, algodão) ou camadas de terra ou areia (com espessura de 3 a 5 cm) mantidos úmidos durante o período de cura.

c) Aplicação de lonas ou lençóis plásticos impermeáveis, de preferência de cor clara (para evitar o aquecimento excessivo do concreto).
A prática mais comum é molhar o concreto por aspersão de água(mangueira), e/ou usar panos ou papel para reter a umidade junto ao concreto o máximo possível .
Assim, você faz com que a laje fique úmida mais tempo, evitando que a água evapore rapidamente.

A duração da cura deve ser de pelo menos 7 dias, no caso de cimento Portland comum (pois nesse período o cimento irá desenvolver aproximadamente 60% da sua resistência final) e de 14 dias, no caso de cimento Portland de alto-forno e pozolânico. No entanto, quanto mais tempo durar a cura (até 3 semanas), melhor será para o concreto.

Existe a chamada cura química que consiste em aspergir um produto que forma um película na superfície do concreto e que impede que haja evaporação da água do concreto.


Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra 

Fontes utilizadas:



1 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010