A forma dos agregados

25 de fevereiro de 2017







Uma pergunta: A forma dos agregados graúdos e miúdos alteram em que a dosagem de um concreto?




Respondendo:

  • Considerando uma má forma em um agregado graúdo é necessário aumentar o teor de agregado miúdo, para estes serem envolvidos com argamassa, o que demanda um maior teor de água. 


  • Considerando uma má forma em um agregado miúdo para mais fino, haverá um aumento da necessidade de água pelo aumento da superfície especifica.


  • Considerando uma má forma em um agregado miúdo para mais grossos será provável que contenham mais vazios e isto também irá chamar para um aumento da percentagem de areia, o que demanda um maior teor de água. 

Então pode se dizer que existe o mesmo efeito em todos os casos, ou seja, um material com uma má forma (ou mesmo mal classificados) será exigido em uma maior demanda no teor de água na produção de um concreto.

  • No caso de agregado graúdo, o material de enchimento é almofariz ou seja o agregado miúdo (areia), cimento e água e, se o conteúdo de água e de cimento é considerado fixado por considerações da dosagem (fator a/c) , o material variável será logicamente o agregado miúdo ou sejam as areias.

  • No caso de agregado miúdo, o material de enchimento é pasta de cimento e temos que se o cimento  é fixado por considerações na dosagem o material portanto que  é variável será a água.


A descrição acima é uma visão mais simplificada, uma vez que se temos de adicionar mais água, em ambos os casos, teremos de adicionar mais cimento para compensar a exigência de se obter a mesma resistência.

No entanto, estes efeitos adicionais de uma maior demanda de água, são minimizados automaticamente quando são feitos uns ajustes nos % da mistura a serem utilizados para o concreto.

Compreender esta situação resolve a divergência no cálculo do teor de água, o traço inicial para se obter o teor de água de uma determinada mistura torna-se então de caráter obrigatório em qualquer que seja o método de dosagem.

Um menor teor de água é obtido quando a mistura se encontra num patamar de baixa dispersão em relação a uma curva de grande poder de empacotamento.

O traço Inicial faz parte de meu método de dosagem, e agora aproveito esta oportunidade para dizer que o método DPCON Dosagem Paramétrica do Concreto na versão VS02, será brevemente lançado comercialmente, e no futuro haverá um fórum de discussão sobre este assunto de dosagem do concreto, aguardem

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra


2 comentários:

israel aires silva disse...

boa noite Dr Ruy.
estou no aguardo da comercialização da plan.
parabens mais uma vez pelo desenvolvimento.

leandro ramos ramos disse...

pode me informar qual e adiferrença do concreto pro reativo do pos reativos

leandro rasmos

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010