Tipos de formas de sapatas

22 de maio de 2019



Para a realização de um pré-dimensionamento em planta, é necessário numa primeira fase saber se a resultante das ações vai se encontrar dentro ou fora do terço central da sapata. Mas numa fase ainda preliminar de dimensionamento não é considerado este aspeto, sendo depois, numa fase de dimensionamento, realizada a verificação quanto à localização da resultante do diagrama de tensões. 

Para a realização de um pré-dimensionamento (medidas em planta), é necessário realizar uma estimativa do esforço axial devido ao peso próprio da sapata. Este valor é normalmente considerado em 10% da carga axial existente, caso o valor do peso próprio da sapata se encontre acima (ou muito abaixo) desta estimativa se realiza uma correção para se estar mais perto da solução final.

São estes os vários tipos de forma de sapatas:

Sapatas proporcionadas: 
Neste tipo de sapatas, as sapatas possuem dimensões proporcionais aos momentos a que estão sujeitas. Assim, a sua dimensão (tanto em comprimento como em largura) é a soma da parcela relativa ao esforço axial mais duas vezes a parcela relativa ao momento.

Sapatas homotéticas: 
Este tipo de sapatas baseia-se no mesmo principio que as sapatas proporcionadas. Contudo, neste tipo, para além de ser proporcional aos momentos, a razão entre o lado da sapata com o lado do pilar da mesma direção da sapata terá que ser igual nas duas direções.

Sapatas de bordos equidistantes: Caso se pretenda que a sapata possua nas duas direções a mesma distância entre o bordo do pilar e o bordo da sapata, deverá ser este o tipo a usar.

Sapatas quadradas:
Estas, como o nome indica, possuem a mesma dimensão nos dois sentidos.

Sapatas de dimensão condicionada:
Poderão existir situações em que a sapata não possa ultrapassar mais que um certo valor na sua dimensão. Isto pode acontecer em pilares de bordo (ou de canto) para que a sapata não atinja a propriedade vizinha. Nestes casos, a dimensão condicionante deverá ser indicada, sendo que o equilíbrio da sapata é mantido na outra dimensão. Caso a restrição seja bastante grande, poderá não ser possível obter uma dimensão tal que se verifique o equilíbrio. Para estes casos, poderá ser usado uma viga de equilíbrio. Também poderá ser aplicado o mesmo princípio para sapatas excêntricas.

Para pré-dimensionar a altura da sapata, utiliza-se a expressão relativa à sua flexibilidade. O tipo de flexibilidade da sapata é medido pelo coeficiente de flexibilidade K pela fórmula:


Em  breve uma será comercializado uma planilha de sapatas que venho desenvolvendo, onde o gráfico de momentos reais estará presente e foi apresentado no inicio desta publicação.

Eng Ruy Serafim de Teixeira Guerra


0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010