Planejamento

31 de maio de 2013







Para haver um gerenciamento de uma fábrica de artefatos de cimento necessita-se um planejamento da produção, mantendo estável o setor produtivo e se obter melhorias do conjunto das atividades que afetam o resultado do processo produtivo. Este é o ciclo PDCA que é uma ferramenta de qualidade que facilita a tomada de decisões visando garantir o alcance dos objetivos necessários à sobrevivência dos estabelecimentos e, embora simples, representa um avanço sem limites para o planejamento eficaz. A sigla é formada pelas iniciais PDCA plan, do, check e, action que têm o seguinte significado:

Planejar (Plan): antes da execução de qualquer processo, as atividades devem ser elaboradas, com as definições de objetivos a serem alcançados e dos métodos (meios) que permitirão atingir os objetivos propostos;

Como hoje a grande maioria das fabricas de artefatos de cimento não tem uma apurada contabilidade de custos, deve-se procurar obter uma melhoria nas tomadas de decisão pelos administradores com um planejamento de OBJETIVOS, sejam estes para o setor produtivo, para o setor comercial ou mesmo administrativo. Sem avaliação, não há ação para que se possam ter aperfeiçoamentos dando rumo a atividade da indústria, que deve estar totalmente voltada para uma apurada contabilidade de custos.

Mas, para que realizar OBJETIVOS? Todo e qualquer objetivo deve ter como principal fim, ser uma busca do resultado, ou seja, da lucratividade.

Com a lucratividade se geram novos investimentos, que são utilizados para ampliação do parque fabril ou como uma busca de redução de custos de fabricação, ou mesmo outros fins.

Logo, uma venda irá gerar uma receita que diminuindo das suas despesas geram um lucro que vão gerar novos investimentos (para se obter custos mais baixos) que geram novas receitas com lucratividade maior que a inicial, assim se maximiza cada vez mais o capital investido.

Planejar significa elaborar todas as atividades com seus objetivos estes devem ser claros a todos que neles participem e com métodos e meios que possam ser alcançados. Estes meios é que devem ser procurados e listados para tomadas de decisão.

Executar (Do): execução das tarefas exatamente como previstas no planejamento e com coleta de dados para verificação do processo. Nesta etapa é essencial o treinamento no trabalho decorrente do planejamento;

Para a fase de execução a de se querer um menor ciclo de tempos e movimentos para quaisquer níveis de produção, com menores gastos, a qual é a busca das indústrias como objetivo da maximização dos lucros. A análise do trabalho foi realizada por Taylor fazendo com que toda a operação fabril possa ser um processo padronizado e planejado de modo a eliminar todo e qualquer desperdício de esforço humano e de tempo.

É dada ênfase na redução dos tempos e movimentos do processo, como forma de conseguir flexibilidade. Os tempos e movimentos gastos com atividades que não agregam valor ao produto devem ser eliminados, enquanto os tempos e movimentos gastos com atividades que agreguem valor devem ser utilizados de forma a maximizar o custo e a qualidade dos produtos produzidos.

Procura-se com estudos se obterem também uma maior especialização das atividades e uma maior adequação de cada operário à sua atividade, cada movimento com seu respectivo tempo devem ser definidos no manual de procedimentos fabris, não se pode controlar o tempo, mas se podem controlar os processos. Com procedimentos para atuação no trabalho irá se originar mais claramente um maior controle sobre o desempenho de cada operário.

Todas as atividades industriais são divididas em tarefas e ensinadas aos empregados, também se criando manuais de procedimento, surgindo para isso os treinamentos. A partir dessa análise e sistematização, os manuais de procedimentos são as principais ferramentas de conduta da mão de obra direta no trabalho, que consiste no estabelecimento da melhor forma de se desenvolver cada operação fabril. Para a confecção destes manuais que devem ser elaborados pelos gerentes de fabrica juntamente com a mão de obra direta envolvida no processo produtivo, gerando uma sinergia ao grupo.

Verificação (Check): a partir dos dados coletados na execução, compara-se o objetivo com o realizado e o desejado;

Se durante a checagem ou verificação for encontrada alguma anormalidade em relação ao planejado, este será o momento de agir corretivamente, resolvendo estas causas que impediram que o procedimento fosse executado corretamente. Assim que as anormalidades forem localizadas, as medidas corretivas deverão ser adotadas, isto é, as ações que vão evitar que o erro ocorra novamente.

Atuação Corretiva (Action): conhecida como feedback, retorno de informação ou, simplesmente, retorno, objetivo de reorientar os processos futuros mais adequados, esta é a etapa onde o gerente detectou desvios e atuará no sentido de fazer correções definitivas de tal modo que o problema nunca volte a ocorrer.

Para cada contra medida constante do plano de ação, deverá ser definido o “5W2H”. O QUE (“WHAT”) será feito, QUANDO (“WHEN”) será feito, QUEM (“WHO”) fará, ONDE (“WHERE”) será feito, POR QUE (“WHY”) será feito e COMO (“HOW”) será feito e qual será o CUSTO (“HOW MUCH”).

O ciclo PDCA após ser implantado com sucesso deve fazer parte da prática diária da indústria. Pois através de sua prática é que poderá atingir níveis de qualidade de gestão de processos que farão sua indústria verdadeiramente competitiva.
 
a. o quê? (What?)
b. onde? (Where?)
c. quando? (When?)
d. quem? (Who?)
e. por quê? (Why?)
f. como? (How?)
g. quanto? (How much?)

Para gerenciar um planejamento de uma indústria de artefatos de cimento então teremos como perguntas:

a. O que deve ser feito?
b. Onde a solução será implantada?
c. Quando será feito? Com o cronograma das ações.
d. Quem será o responsável pela sua implantação?
e. Por que foi definida esta solução? Definindo o resultado a ser esperado
f. Como vai ser implantada a ação? Defina as etapas com suas descrições.
g. Quanto vai custar?
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010