Dosagem do concreto semi-seco para pavers

25 de julho de 2013



Dosagem de concreto, um exemplo para pavers.

Vou explicar de uma forma mais simples de como se fazer um traço para pavers de concreto (de uma capa) com o método descrito na publicação de “Dosagem do concreto de cimento Portland”.

Como o primeiro passo:

   1-   Devemos fazer a granulometria dos materiais disponíveis, neste caso temos disponível aqui na região de Caruaru-PE a areia fina, o pó de pedra e a brita10mm.

Procuramos aproximar uma mistura destes três ingredientes a uma curva chamada curva de Fuller isto com um percentual retido de 15% (ou 85%passante) a fim de obter-se um melhor acabamento superficial. Pode-se tentar com percentuais menores para verificar se o acabamento ficou satisfatório, isto com a finalidade de se predispuser economizar cimento, com a adoção de DMT de maior dimensão. Quanto maior o percentual retido menor será a finura da mistura, ou seja, menor será o módulo de finura da mistura e maior será o consumo de cimento.
   
     2-    Fazendo a granulometria destes três materiais, procuramos agora obter a dimensão máxima teórica- DMT onde ocorre este percentual retido de 15% ou 85% passante.

Veja abaixo como foi obtido o DMT de 7.62mm.


Agora utilizamos o comando Solver para se obter os percentuais de cada agregado nesta mistura. Se o comando Solver não estiver na aba de DADOS deve-se habilitar este comando, veja como habilitar este comando na publicação “Ferramenta Solver”.

Deve-se seguir assim: clicar na aba superior em “DADOS”, clicar no comando “Solver” e clicar agora em “Resolver”, quando aparecer Resultados do Solver clicar em “OK”.

Pronto, a mistura ficou com uma dispersão de 1.082 (bem menor do que três) e os percentuais foram os seguintes:

Areia fina     =   4%
Pó de pedra  = 55%
Brita 10mm  = 41%

Para o segundo passo:
Teremos que definir o consumo de água para esta mistura encontrada. O equipamento de produção deve estar regulado, para que não se adote teor de água maior por haver falta de vibração, falta de tempo de ciclos e/ou falta de prensagem.

Inicialmente adotamos 7% (A) porque temos uma cura de pouco controle (ver publicação de “Água de Amassamento”) para o teor de água/materiais secos, um fator água/cimento de 0.40 e um aditivo dispersor com 0.60% do peso de cimento, logo:

Parâmetro um: A%=7

Parâmetro dois: a/c=0.40

m=(a/c*100-A%)/A% = (0.4*100-7)/7 = 4.714  e C=1/(1/3100+m/2700+a/c/1000)=405Kg/m3

As proporções de cada material:
Cimento = 405 kg/m3
Areia fina   = 0.04*4.714*405 = 77 kg/m3 
Pó de pedra=0.55*4.714*405 = 1050 kg/m3
Brita10         =0.41*4.714*405 = 783 kg/m3
Agua = 0.4*405 = 162 kg/m3

Fazemos pelo menos dois traços para que o equipamento se “lubrifique” depois se deve produzir o traço inicial e ir alterando a quantidade de água até chegar à água ideal, ou seja, a água em quantidade ótima para a sua composição. Quando o traço ficar com a umidade ótima procura-se AJUSTAR esta quantidade de água real que foi utilizada.

A aferição da quantidade de água que foi utilizada diretamente no produto deve ser realizada por qualquer um dos três métodos explicados na postagem de água de amassamento, neste caso utilizamos o forno de micro-ondas com uma amostra de 500gr. O teor de água/materiais secos ficou em 7.10% muito próxima ao percentual inicial.

Ajustando o traço inicial teremos: m=(a/c*100-A%)/A% = (0.4*100-7.1)/7.1 = 4.633
Para o consumo de cimento aproximado teremos: C=1/(1/3100+m/2700+a/c/1000)=410Kg/m3
Para o consumo de água/m3 teremos: W=C*a/c= 410*0.40= 164 l/m3

As proporções de cada material são as seguintes:
Cimento --------------------------=  410 kg/m3
Areia fina----0.04*4.633*410=  76 kg/m3
Pó de pedra-0.55*4.633*410= 1045 kg/m3
Brita10-------0.41*4.633*410=   779 kg/m3
Água--------0.40*410-----------=  164 kg/m3
                                   Peso total=2474 kg/m3

Para o terceiro passo:

Devem-se fazer agora traços com fatores a/c diferenciados, mas não houve esta necessidade  porque a resistência obtida com o traço ajustado foram as seguintes:

7dias   = 18.8Mpa
14dias = 35.6Mpa
21dias = 38.5Mpa
28dias = 39.1 Mpa

A densidade média do concreto fresco foi a seguinte:
D=3.945Kg/(0.202*0.102*0.080)= 2.393 kg/m3

O que atende perfeitamente as normas da ABNT. Reconheço que o consumo de cimento está alto, mas, o equipamento utilizado não permite uma adoção de um menor teor de água/materiais secos, alguns fabricantes de equipamentos de grande porte fornecem como partida o traço de 1:5.5.

Para pavers fabricados com duas capas o traço muda radicalmente porque o traço da capa inferior pode ter maior teor de brita, ou seja, aumenta-se o percentual retido para tender a curva para uma mistura de maior módulo de finura (pode-se aumentar também o teor de água/m3 desta capa inferior) e com isso se diminui o teor de cimento na mistura.


Não deixe de ler DMT versus acabamento: veja aqui
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010