Paredes de concreto feitas com fôrmas de resina

31 de julho de 2013


Método para construção adota fôrmas de resinas termoplásticas reutilizáveis

Dependendo do tamanho e das condições climáticas durante a obra, projetos podem ser entregues em menos de 50 dias


Rodrigo Louzas
3/Julho/2013
Um sistema com fôrmas de resinas termoplásticas modulares reutilizáveis vem sendo adotado para a construção de habitações populares na região Sul do País. O método possui paredes preenchidas por graute (concreto com pedrisco de brita), com resistência de 25 MPA.
Divulgação: Concre House
Após a montagem da execução da fundação e do contra piso, é feita a montagem das fôrmas de resinas termoplásticas. A partir daí, toda a tubulação elétrica e hidráulica é embutida no processo construtivo e a concretagem das paredes é iniciada. "Isto resulta em uma construção monolítica de concreto (piso, parede e laje), com rapidez e durabilidade", afirma Claudio Barcellos, arquiteto e urbanista que criou o sistema.
A próxima etapa da construção é a montagem do telhado. A partir daí é feito o revestimento, a colocação de esquadrias, louças e metais e a pintura interna e externa da habitação. Com isso, os projetos podem ser entregues em até 48 dias, dependendo do tamanho e das condições climáticas.
Em relação ao custo referente à mão de obra e matéria prima, utilizar este método nas construções é cerca de 35% mais barato do que os convencionais em alvenaria segundo o criador. Não há limites de pavimentos nem de tipo de imóvel para utilizar o sistema, sendo o processo modular de 5 em 5 centímetros.
O método, utilizado pela Concre House, é aprovado pela Caixa Econômica Federal e pode ser utilizado em todos os tipos de construções.
Divulgação: Concre House
Divulgação: Concre House

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010