Vinte qualidades desejáveis para o engenheiro calculista

1 de agosto de 2013


  1. Ser cuidadoso em tudo o que faz profissionalmente. Não esquecer das ações e das combinações possíveis de carregamentos. Não subestimar a possibilidade de erros humanos;
  2. Ser meticuloso em todas as análises. Não ser superficial. Ir a fundo nas análises. Ponderar adequadamente as diversas combinações de ações;
  3. Ser organizado e didático na elaboração dos memoriais de modo que seja possível entendê-lo anos após a elaboração. A boa linguagem clara e sucinta, o bom português, evita interpretações incorretas. Ser organizado no arquivo de correspondências e projetos de modo a poder recuperar dados recebidos e aproveitar projetos realizados.
  4. Ser rigoroso na ponderação entre segurança e economia.
  5. Não ser indevidamente arrojado, especialmente nos casos de consequências catastróficas. Nesses casos, quando possível, procurar basear as soluções em experiências bem sucedidas;
  6. Ser rigoroso entre qualidade e produção;
  7. Estar consciente da própria natureza humana sujeita a erros, e da necessidade de verificações.
  8. Ser responsável, inclusive com o meio ambiente e cumprir e fazer cumprir a ética profissional;
  9. Analisar os problemas com profundidade para entender como funciona a estrutura, como a estrutura de deforma e como seria o mecanismo de ruptura. Procurar avaliar os resultados de modo a criar um sentimento de ordem de grandeza para detectar erros no futuro.
  10. Ter visão espacial para saber interpretar e elaborar documentos de projeto. Conhecer as normas de desenho. Estar familiarizado com os programas de desenho e os de análise estrutural da especialidade.
  11. Procurar analisar os dados recebidos. Isso implica em ter conhecimentos básicos de outras especialidades para poder fazer os questionamentos necessários e aceitá-los como válidos. O seu projeto não será melhor do que a qualidade dos dados que recebe.
  12. Procurar respeitar as normas elaboradas por profissionais mais experientes e mais especializados. Em casos excepcionais, onde forem cabíveis justificativas adequadas pode-se não se submeter às normas, mas estando consciente de riscos aos direitos do consumidor.
  13. Desenvolver a sensibilidade e ser humilde para saber quando consultar a um especialista, mesmo da própria especialidade;
  14. Pelo menos no início da profissão procurar trabalhar em edificações e detalhar as próprias armaduras sem a utilização de programas de cálculo para melhor compreender o funcionamento desses programas e ter condições depois de configurá-lo da melhor forma.  
  15. Quando utilizar um programa de cálculo ter a consciência de que os resultados dependerão das condições de contorno e vinculação fornecidas. Fazer verificações das somas das cargas aplicadas com as reações e ser muito rigoroso na verificação dessa compatibilidade. Verificar as deformações e analisar a ordem de grandeza dos resultados. Se estiver em dúvida sobre como a estrutura vai se comportar, comece pelo modelo de menores deslocamentos;
  16. Quando estiver diante de um problema mais difícil, procurar bibliografia especializada, ouvir outros especialistas e tomar a própria decisão responsabilizando-se pelos resultados.
  17. Procurar estar permanentemente atualizado;
  18. Saber respeitar os colegas de profissão. Ao emitir pareceres sobre serviços executados, não incluir quaisquer aspectos pessoais.  
  19. Saber respeitar as empresas constituídas. Quando for solicitado a dar pareceres sobre produtos, emitir críticas ou elogios apenas quando as puder justificar com fundamentos técnicos sólidos e 
  20. Saber como obter e selecionar clientes e cobrar o trabalho;
 Por: Milton Emílio Vivan
Vivan Engenharia
Projeto de Estruturas de Concreto
Fone (11) 3865 24 58 - Fone - Fax (11) 3872 4051
Celular: (11) 99614 0719 - www.vivan.com.br
1996-2013 - 17 anos
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010