Vista os seis chapéus do pensamento

14 de agosto de 2013

Os seis chapéus do pensamento é uma técnica que considera um assunto (uma decisão, um problema, uma oportunidade) de todas as perspectivas importantes.

Ela leva os participantes a irem além de seus estilos de pensamento usuais e os ajuda a formar um panorama mais completo da situação.

Essa ferramenta foi criada por Edward de Bono, que a apresenta em detalhes em seu livro, Os seis chapéus do pensamento. Ele desenvolveu a técnica como um processo para usar o pensamento lateral na solução de problemas, particularmente em grupos.

A técnica é simples em conceito, portanto quando o grupo considera um assunto, todos os membros vestem, figurativamente, um chapéu por vez.
C Claro que se seu orçamento pode cobrir 6 chapéus para cada participante, eles podem usar os chapéus do pensamento literalmente e se vestirem para o sucesso.
O facilitador indica qual chapéu usar e quando trocá-los. Algumas tentativas serão mais importantes do que outras, dependendo se o assunto é uma decisão, um problema, uma oportunidade ou qualquer outra coisa.

Então, o que são esses chapéus e quais perspectivas eles representam?
  • Chapéu branco: É neutro e objetivo, cuida de fatos e números. Os participantes têm foco na informação disponível e vêem o que eles podem aprender disso. Eles também procuram por gaps em seu conhecimento e tentam suprir ou considerá-los.
  • Chapéu vermelho: Sugere indignação, fúria e emoções, dá o ponto-de-vista emocional. Os participantes consideram o assunto usando suas emoções, intuição e reações viscerais. Eles também tentam sentir como as outras pessoas irão reagir emocionalmente àquele assunto, especialmente aqueles que desconhecem completamente a razão do grupo. O chapéu vermelho permite aos participantes expressarem reações sem a necessidade de justificá-las.
  • Chapéu preto: É triste e negativo, cobre os aspectos negativos (porque algo não pode ser feito). Os participantes identificam e examinam todos os potenciais negativos do assunto. Eles devem ser críticos, cautelosos e defensivos. Essa perspectiva é importante – e geralmente negligenciada porque as pessoas normalmente preferem ser positivas e otimistas. Mas se você estiver atento aos potenciais negativos de um assunto, pode trabalhar para reduzir ou eliminá-los e/ou planejar apropriadamente.
  • Chapéu amarelo: É alegre, positivo, otimista e se reveste de esperança e pensamento positivo. Os participantes pensam positivamente. Eles tomam uma perspectiva otimista ao considerar todos os pontos bons envolvidos no assunto. Essa perspectiva é especialmente importante quando tratamos de um problema ou consideramos uma decisão que é um compromisso inquietante ou necessário pelas circunstâncias.
  • Chapéu verde: É como o gramado, uma vegetação de crescimento fértil e abundante, indica criatividade e novas idéias. Os participantes permitem que sua criatividade brinque livremente. A ênfase é na imaginação – possibilidade, alternativas e novas idéias; análises críticas estão suspensas.
  • Chapéu azul: É frio e também a cor do céu que está acima de tudo, toma conta do controle e organização do processo de pensamento, e também do uso dos outros chapéus. Os participantes pensam sobre o processo, não sobre o assunto. Esse é o chapéu que decide qual chapéu deve ser o melhor a seguir.

Em resumo, a técnica dos seis chapéus do pensamento consiste de dar foco a cinco perspectivas ou tentativas, é um chapéu que serve como um senso de moda, para decidir qual chapéu seria mais apropriado.  «

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010