Passo a passo piso com cimento queimado (1)

2 de setembro de 2013

Aprenda, passo a passo, a executar piso com cimento queimado

Desempenho técnico e estético depende de cuidados específicos durante o espalhamento do cimento sobre o substrato e de procedimentos de cura lenta

Reportagem: Giovanny Gerolla
As ferramentas devem ser lavadas constantemente para evitar que a massa grude. No entanto, não podem estar muito molhadas durante o uso. Bolhas superficiais devem ser tratadas imediatamente com a desempenadeira.O desempenho dos pisos de cimento queimado depende do preparo da massa. Com consistência de farofa, a mistura é quase seca, geralmente na proporção em volume de 1:3 (uma parte de cimento para três de areia fina - ambos peneirados).
Quanto à cura, o ideal é manter a superfície úmida. Para tanto, é possível usar manta geotêxtil, explica Júlio Camilo, engenheiro da RRG Construtora.
Organização é fundamental, pois o processo é realizado em no máximo 45 minutos. Confira os procedimentos para execução desse tipo de revestimento.
LIMPEZA E NIVELAMENTO INICIAL
Passo 1. O contrapiso deve estar livre de resíduos antes do início da execução.



Passo 2. A mangueira de nível determina o ponto mestre a partir do qual a altura do piso vai ser demarcada. O ponto mestre é riscado sobre a parede, com lápis, a partir da referência de nível.

Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 3. Utilize a trena para checar a altura da talisca.Passo 4. Taliscas são executadas junto à parede para orientar a distribuição do nível do piso por toda a área, sempre segundo demarcações de nível. A mistura da massa para a talisca é a mesma a ser utilizada em todo o piso.

Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 5. Utilize a trena para checar a altura da talisca.


Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 6. Uma tela de galinheiro é deitada sobre a área de piso a ser executada. Ela funciona como reforço estrutural, fazendo com que o cimento não fique solto sobre a laje ou contrapiso.

Passo 7. Em seguida, joga-se água sobre o contrapiso para aumentar a capacidade de aderência do piso à laje ou contrapiso.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 8. Sobre o contrapiso molhado, e com uso da broxa, espalha-se resina sintética de alto desempenho para melhorar aderência, resistência, elasticidade e impermeabilidade.

Passo 9. Na sequência, distribua o cimento sobre o piso.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 10. Com a vassoura, água, resina e cimento são distribuídos e misturados sobre a superfície.

DETALHE
Fotos: Marcelo Scandaroli
Confira, com a trena, se a adição de água, resina e cimento que cobriram a tela de galinheiro não elevaram o nível da talisca.

Passo 11. Posicione taliscas a cada 1 m ao longo da parede. Caso o piso não tenha caimento, com o sarrafo e o nível de bolha, verifique o nível. Isso é importante para garantir o sarrafeamento correto.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 12. A massa é jogada com a pá sobre o contrapiso. Note que o cimento parece uma farofa.

DESEMPENAMENTO
Passo 13. Em seguida, ela é espalhada com a colher de pedreiro, da forma mais homogênea possível.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 14. A desempenadeira é utilizada para pressionar a sua superfície, com toques leves e repetidos.

Passo 15. Com o uso do sarrafo ou régua, a área é regularizada.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 16. Com a colher de pedreiro, procure pontos onde a tela ficou exposta, empurrando-a para baixo (ela deve ficar completamente afundada). Atenção para não comprometer o nivelamento do piso.

JUNTAS
Passo 17. A desempenadeira de plástico é usada para dar o acabamento inicial à superfície. Sempre é preciso checar se a tela de galinheiro não está exposta.
Fotos: Marcelo Scandaroli
Passo 18. Com a trena, meça, a partir da parede, os pontos onde serão colocadas as juntas de controle, que servem para evitar fissuramentos do piso.

parte 2:
http://www.clubedoconcreto.com.br/2013/09/passo-passo-piso-com-cimento-queimado-2.html
 
Clube do Concreto | by TNB ©2010