Concreto saudável

10 de outubro de 2013

PERFIL

Fotos: Marcelo Scandaroli
Nome: Arcindo Agustin Vaquero y Mayor
Profissão: engenheiro civil
Idade: 57 anosLocal de nascimento: em Cuba, mas é brasileiro naturalizadoOnde mora: São PauloFunção atual: é consultor da Abesc (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem)

Qual a diferença entre o concreto do caminhão-betoneira e aquele virado na obra?
O concreto virado na obra é aquele que é preparado no próprio canteiro. O cimento geralmente é dosado em peso (número de sacos de cimento) e os agregados - areia e pedra -, em volume (litros). A água também é medida em litros. Já o concreto dosado em central tem todos os seus componentes medidos pelo peso, com muita precisão. Um caminhão-betoneira se encarrega de misturar os materiais e transportá-los até a obra.
Qual é o melhor método?
O concreto produzido na central dosadora é mais homogêneo, já que é misturado no caminhão-betoneira. Além disso, esse processo otimiza o uso de materiais, com redução de desperdícios, e permite aproveitar melhor o espaço do canteiro e os serviços da mão de obra.
É preciso testar o concreto de todos os caminhões que chegam à obra?
A norma técnica NBR 12655 - Concreto de Cimento Portland - Preparo, Controle e Recebimento, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), prevê dois casos distintos de amostragem: o parcial, quando só alguns caminhões-betoneira são testados, ou total, quando todos os caminhões entram no teste. Para cada uma dessas formas está previsto um meio de controle da resistência do concreto, e ambas são satisfatórias.
Em que casos deve ser feito o teste parcial, e em que casos é feito o total?
Essa decisão é tomada na obra, de acordo com a confiança que se tem no fornecedor do concreto: quanto mais confiança você tiver nele, ou quanto melhor conhecer seu produto, menor será a necessidade de testá-lo.
O que pode acontecer com uma estrutura que recebe concreto errado?
Depende de quanto "errado" é esse concreto... Eu não conheço nenhum caso em que a estrutura tenha sofrido qualquer acidente ou desabado devido ao uso do concreto "errado". O mais importante, porém, é ter um bom controle tecnológico do concreto aplicado na obra, por testes, para evitar acidentes mais graves.
É verdade que o concreto pode "estragar" se não chegar logo à obra?
O concreto não "estraga"! Isso não existe. O que acontece é que o cimento que está na mistura começa a "dar pega", e com isso ocorre perda importante da resistência do produto - se ele ainda não estiver aplicado nas fôrmas.
Mas o que é "dar pega"?
É o momento em que os grãos de cimento começam a reagir quimicamente com a água e surgem pequenos cristais, havendo aumento da temperatura da mistura e uma grande perda de sua capacidade de aplicação. A partir daí, o concreto não poderá mais ser usado.
Fotos: Marcelo Scandaroli
O ensaio do abatimento (slump) mede a facilidade de se trabalhar com o concreto. Quem recebe o produto deve verificar se o valor do abatimento do concreto do caminhão-betoneira é o mesmo que o solicitado pela obra.
Em quanto tempo, no máximo, ele deve chegar ao canteiro?
O concreto deve estar dentro das fôrmas em até 150 minutos (2h30) após ter recebido sua primeira adição de água na central dosadora.
Caso esse tempo estoure, o que fazer? Dá para reaproveitar esse concreto na própria obra?
Não. Após a passagem dos 150 minutos é preciso descartar a mistura.
Para que serve o ensaio de abatimento do concreto?
O ensaio do abatimento mede a facilidade com que o concreto pode ser usado ainda em seu estado plástico - quando ainda está fluido, ou próximo de "líquido". Quanto maior for o abatimento, mais fácil trabalhar com o concreto e, portanto, mais fácil será aplicá-lo.
Esse teste é aquele feito com uma fôrma metálica em forma de cone?
Sim. Ela é preenchida com concreto. Quando erguida, o concreto em seu interior tende a descer - e quanto mais fluido, mais o concreto desce.
Algumas obras usam o concreto autoadensável, que é mais líquido. O que é o concreto autoadensável e para que serve?
O autoadensável é um concreto tão fluido, tão fácil de trabalhar, que nem precisa ser vibrado. Por isso é bom para ser usado em canteiros de obra onde o nível de ruído deve ser controlado. É muito solicitado quando há peças muito finas e com muita armadura, ou quando é preciso concretar peças muito grandes em um tempo reduzido.
Dá para fazer o ensaio de abatimento no concreto autoadensável? O que é ensaio de espalhamento e qual a diferença entre ele e o de abatimento?
A facilidade de se trabalhar com o concreto autoadensável é medida por um tipo de ensaio denominado "espalhamento". A diferença entre ele e o abatimento é que, neste último, medimos quanto o cone desce na vertical, enquanto no "espalhamento", medimos quanto a base do cone se espalha na horizontal.
Que documentos devem ser exigidos da concreteira na entrega do material?
No documento de simples remessa estão citadas todas as informações importantes a respeito daquele concreto que está sendo entregue. Nele constam nome do cliente, endereço da obra e a descrição do concreto recebido - sua resistência, abatimento (slump) e diâmetro máximo do agregado (pedra 1 ou pedra 0).
E até quando é preciso guardar todos esses documentos?
Pelo menos por cinco anos, mas a fornecedora também poderá emitir uma segunda via, caso se perca o documento de simples remessa.
Que outros cuidados você considera importante ao lidar com o concreto?

É preciso ter atenção especial com a cura do material. Enquanto não atingir o endurecimento satisfatório, o concreto deverá ser protegido contra mudanças bruscas de temperatura, secagem, vento, chuva forte, agentes químicos, choques e vibrações de intensidade que fissurem a massa ou prejudiquem sua aderência à armadura.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010