6 Dicas Para Uma Boa Gestão Financeira de sua Empresa

5 de dezembro de 2013

Texto de Eduardo Dreschel, via mundosebrae.com.brblog Finanças

Todo empreendedor quando abre o seu próprio negócio, depois de um apurado estudo de viabilidade econômico-financeira realizado através de um Plano de Negócios, deve acompanhar constantemente a situação de sua empresa. Não basta apenas vender, deve-se também avaliar permanentemente o seu desempenho.

Vivemos hoje em um ambiente extremamente dinâmico e volátil, sujeito às mais diversas interferências, as quais devem ser conhecidas e mensuradas pelos gestores das empresas buscando efetuar as eventuais correções de percurso necessárias buscando obter maior competitividade.

Vejamos algumas das causas mais freqüentes causadoras de problemas para as empresas e que podem interferir na sua sobrevivência:

- Custos

Toda organização possui custos nas suas atividades. Estes podem ser divididos em Custos Fixos e Custos Variáveis. Os variáveis, como seu próprio nome diz, variam de acordo com o volume de vendas. Já os Custos Fixos referem-se aos custos operacionais, da estrutura da empresa. É neles que estão concentrados os maiores problemas. Caso não sejam bem geridos e mensurados, possuindo-se gastos elevados, poderão comprometer a sobrevivência da organização. Torna-se necessário então o seu acompanhamento constante procurando-se reduzi-los sem entretanto prejudicar a operacionalidade da empresa.

- Preços

Outro dos principais erros cometidos pelas empresas é o da errada formação de preços dos seus produtos ou serviços. Há muitas empresas que, por estarem mal informadas ou ainda desconhecerem as técnicas adequadas, formam seus preços atribuindo um percentual aleatório sobre os custos de seus produtos crendo estar obtendo o lucro desejado quando na realidade, em muitos casos, não cobrindo sequer seus custos operacionais gerando assim, na realidade, prejuízos em vez do lucro pretendido.

- Falta de Capital de Giro

O capital de giro é considerado o “oxigênio” da empresa. Sem ele haverá a necessidade de se buscar recursos junto a terceiros, em especial no mercado financeiro, transferindo-se boa parte dos seus resultados aos seus financiadores.

- Ciclos operacional e de caixa descasados

O ciclo operacional da empresa é composto pelos prazos decorridos entre o monto da compra do produto e o do recebimento da venda efetuada. Já o ciclo de caixa é relativo ao tempo decorrido entre a data do pagamento ao fornecedor e o recebimento da venda. Caso a empresa compre a prazos curtos e concede prazos elevados para pagamento aos seus clientes, superiores aos concedidos pelos fornecedores, necessitará de capital de giro para poder cobrir a falta de recursos provocada pelo descasamento entre os prazos de pagamento e recebimento ocorridos. Caso a empresa não possua os recursos necessários deverá buscá-los no mercado financeiro transferindo assim parte do seu lucro aos financiadores.

É importantíssimo para a saúde financeira da empresa o ajuste dos ciclos operacional e de caixa buscando-se assim uma otimização dos resultados.

- Inadimplência dos clientes

A concessão inadequada do crédito nas vendas a prazo é crucial para o seu recebimento. Muitos empresários no afã de aumentar as suas vendas efetuam-nas sem os critérios apropriados, não buscando a redução dos riscos de inadimplência como também sem as garantias necessárias o que poderia evitar os eventuais sinistros de crédito e o conseqüente prejuízo.

É vital a elaboração do cadastro, a avaliação das informações obtidas bem como a documentação relativa ao processo de comercialização, o qual não é burocrático e desnecessário mas um procedimento necessário para evitar perdas por atrasos ou mesmo por falta de pagamento.

- Retiradas excessivas dos sócios

A empresa é a “galinha dos ovos de ouro” dos seus proprietários. Estes devem decidir entre retiradas desordenadas de recursos ou retiradas mínimas de acordo com as reais possibilidades da empresa. Caso ocorram as primeiras, tal fato gerará a substancial redução do Capital de Giro tornando a empresa vulnerável e, no caso de falta de recursos, criará a necessidade da busca de recursos no mercado financeiro procurando suprir a sua falta e transferindo assim aos financiadores parte dos seus resultados.

Cabe aos empresários decidir: ou consomem os recursos de forma desmedida, saboreando assim a sua “galinha dos ovos de ouro” ou efetuando apenas as retiradas possíveis consumindo apenas os “ovos de ouro” produzidos. Deve-se retirar apenas o que a empresa pode pagar e não o que se gostaria.

Estes são apenas algumas causas de problemas financeiros que ocorrem nas empresas, em especial nas micro e pequenas. Cabe aos gestores obter as informações e meios para melhor administrar os recursos financeiros de suas organizações adequando-as para a utilização dos Controles Financeiros e na tomada de decisões adequadas quanto a: compras, vendas, custos, concessão de crédito e todas as demais atividades operacionais.

Somente com uma gestão adequada e muito controle financeiro é que se poderá obter os resultados pretendidos e manter-se a saúde financeira da empresa permitindo sua continuidade permanente.

Como você viu, todo cuidado é pouco, uma adequada Gestão Financeira poderá evitar inúmeros problemas para a empresa.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome/URL, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010