Piso industrial - Etapas

4 de maio de 2015

O piso industrial, também conhecido como piso de alto desempenho ou piso de alta resistência é amplamente utilizado em ambientes com cargas atuantes elevadas.
Apesar do seu nome remeter à indústria, é adotado em diversos ambientes onde o piso necessita de um tratamento especial para suportar o tráfego ou qualquer outro tipo de carga aplicada sobre ele. Amplamente utilizado em indústrias, frigoríficos, shopping centers, galpões de depósito, oficina de máquinas pesadas, pátios de manobra, e tantas outras opções.
O que diferencia o piso industrial de um piso simples de concreto é a sua elevada taxa de armação e um acabamento superficial específico para a sua utilização. Um acabamento superficial adequado confere ao piso maior resistência à abrasão, maior resistência a agentes químicos e biológicos e a qualquer tipo de intempérie.
Para ter sucesso na construção de um bom piso de alto desempenho é importante ter cuidado com todas as fases da construção, desde o tratamento do solo de fundação, especificação do concreto e espessura do piso e seu acabamento.
Para isso, é importante um projeto de cálculo estrutural e um bom planejamento da obra. Com este artigo você vai aprender o processo executivo do piso industrial, quero te auxiliar a executar com segurança este tipo de serviço.
É claro que as informações neste artigo são um subsídio para sua construção e em hipótese alguma substituem o acompanhamento de um profissional capacitado e habilitado para o mesmo que é um Engenheiro Civil.

Processo Executivo do Piso Industrial

Para a perfeita execução do piso de alto desempenho é importante que haja uma boa interação entre a equipe de projeto e a equipe de execução.
Por exemplo, o planejamento da obra interfere diretamente no tamanho dos panos de concretagem e no posicionamento das juntas de construção. Negligenciar um planejamento inicial em conjunto pode ser motivo para retrabalho de alguma das partes.
Outro ponto importante é salientar que este tipo de piso é construído para determinada utilização, por isso, é importante estar claro a destinação do ambiente. Depois de construído utilizar o piso para cargas superiores às quais ele foi dimensionado pode acarretar em problemas estruturais como trincas e deformação excessiva.
Vamos então ao processo executivo do piso de alto desempenho.

1 – Estudos Preliminares:

A primeira fase é a elaboração dos estudos preliminares. Estes estudos preliminares irão subsidiar o projeto executivo, com todas as informações necessárias para um projeto seguro e adequado com o local de implantação.
É importante fazerem parte deste estudo preliminar os seguintes serviços:
  • Levantamento Topográfico;
  • Investigações Geotécnicas, que podem ser por meio do SPT ou do CBR;
  • Estudo da disponibilidade de material para camada de base;
  • Levantamento de todas as informações relativas à utilização, com definição do trem tipo em piso com tráfego e cargas fixas por metro quadrado.

2 – Elaboração do Projeto:

Para execução do piso industrial é importante a elaboração de um projeto executivo. Fazem parte do pacote de projetos as seguintes disciplinas básicas:
Para a construção do piso, todos estes projetos devem ser observados. É claro que os projetos são adequados para cada realidade, podendo variar algumas disciplinas conforme a sua obra.
Vale ressaltar que o projeto estrutural é essencial para a execução do piso. O projetista irá interpretar as informações do solo de fundação do local e das cargas atuantes e dimensionar a espessura e armação do piso de alto desempenho.
Nesta fase o projetista define todas as principais características para a execução do piso. A escolha da resistência do concreto, a definição da taxa de armadura, o acabamento superficial, definição das juntas e detalhes específicos de cada obra. Por isso, antes de construir seu piso é importante que você contrate um profissional com capacidade técnica para elaborar um bom projeto para sua obra.

3 – Locação da Obra:

Com os estudos e projetos finalizados é hora de começar a sua obra. O primeiro passo é fazer a locação da obra com equipamentos de topografia de alta precisão.
Este tipo de piso pode possuir pequenas declividades e interferência com pilares, caixas de drenagem e qualquer outro elemento. Para que tudo seja feito corretamente é importante ter uma equipe de topografia acompanhando as primeiras etapas da obra.

4 – Execução de cortes e aterros:

Após a obra locada inicia-se a execução de cortes e aterros conforme indicado em um projeto de terraplenagem. É claro que existem situações onde não é necessário este tipo de serviço.
As cotas e declividades devem ser verificadas pela equipe de topografia, para que o piso seja construído com elevações e inclinações adequadas.

5 – Regularização e compactação do subleito:

Em seguida é realizada a regularização e compactação do subleito. É essencial que seja observado o grau de compactação indicados em projeto. A regularização tem como objetivo eliminar qualquer tipo de buraco ou calombo ao longo da superfície do piso.
Com a compactação o solo de fundação adquire resistência adequada para suportar as cargas de utilização que serão transferidas até ele.
A compactação deve ser verificada com o auxílio dos ensaios de campo pertinentes.

6 – Execução da sub-base:

Com a camada do subleito finalizada inicia-se a execução da camada de sub-base. A camada de sub-base é composta de material granular. Possui uma espessura média de 10 cm, mas pode variar conforme o projeto estrutural.
É importante que a camada de sub-base tenha uma granulometria adequada, conforme a indicada em projeto.
Após o espalhamento do material granular ele deve ser regularizado e compactado com o grau de compactação indicado em projeto. O material utilizado deve ser limpo e não possuir presença de matéria orgânica ou materiais finos argilosos.

7 – Instalação da barreira de vapor:

O próximo passo é a instalação da barreira de vapor. A barreira de vapor consiste na aplicação de uma camada de lona plástica sobre a sub-base, esta lona deve ter espessura de 200 micra, ou conforme indicado em projeto.
A barreira de vapor tem três objetivos principais:
  • Bloquear a umidade ascendente para que esta não chegue até o piso de concreto;
  • Evitar que a sub-base absorva a água do concreto durante o processo de concretagem;
  • Diminuir o atrito entre a camada de concreto e a camada granular da sub-base, reduzindo assim consideravelmente efeitos de retração.

8 – Execução das formas:

O próximo passo é a execução das formas em madeira ou metálicas. As formas são instaladas no perímetro do piso a ser concretado e em elementos específicos de cada obra, como encontro com pilares e caixas de drenagem.
As formas devem ser bem travadas. Assim você garante uma perfeita concretagem, devem ser estanques e retilíneas.

9 – Posicionamento das armaduras:

A armação de um piso industrial é na maioria dos casos com tela nervurada eletrossoldada. A armadura inferior é posicionada com o auxílio de espaçadores plásticos, afim de garantir o cobrimento indicado em projeto.
A armadura superior é posicionada com o auxílio de espaçadores treliçados metálicos, próprios para este fim. Estes espaçadores são utilizados no lugar dos antigos caranguejos. Garantem um perfeito posicionamento da tela superior.
Além das armaduras principais devem ser posicionadas as armaduras de reforço das bordas e aberturas. Outro cuidado importante é com a armadura das juntas, estas armaduras possuem graxa em uma das suas extremidades afim de promover a interação entre as placas de concreto vizinhas.
Alguns pisos são em concreto protendido, neste caso deverão ser observados as especificações do projeto para o posicionamento das cordoalhas.

10 – Concretagem do piso industrial:

A concretagem do piso é feita com concreto usinado com resistências superiores a 25 MPa. É importante que no projeto estrutural esteja indicado a resistência característica à compressão, o fator água cimento e o módulo de elasticidade do concreto.
O lançamento e adensamento devem seguir todas as boas técnicas da engenharia. O lançamento é uma tarefa simples devido a utilização de bombas para tal fim, mas deve-se tomar o cuidado de lançar e espalhar de forma uniforme o concreto para que facilite o acabamento do piso.
Um bom adensamento é essencial para que não sejam formados espaços vazios ou segregação de material. No caso de pisos de alto desempenho são utilizadas as réguas vibratórias para a execução deste adensamento.

11 – Regularização do concreto:

Com a finalização da concretagem o concreto é regularizado com auxílio de equipamentos mecânicos.
As acabadoras de superfície (bambolês) são os equipamentos mais indicados para a finalização da camada de concreto. Eles são utilizados para a execução do desempeno mecânico e do alisamento superficial. O que muda entre as duas tarefas é a espessura da lâmina das acabadoras de superfície.
Executar bem esta tarefa é essencial para conseguir uma superfície com um bom índice de planicidade.

12 – Cura do concreto:

A cura do concreto deve ser considerada uma etapa visto que muitas vezes esta cura é realizada com auxílio de membranas e filmes plásticos. Estes são instalados próximo ao fim de pega. Este tipo de procedimento é inicial e deve ser trocado assim que o concreto adquira uma maior resistência.
Em seguida são utilizados técnicas como cobertura com areia ou com sacarias de aniagem. O objetivo é garantir uma excelente cura do material.
Em alguns casos pode ser adotado a cura química do concreto.

13 – Execução das juntas:

A execução das juntas deves ser iniciada após a cura do concreto. Existem três tipos de juntas em um piso industrial, que são:
  • Junta de construção: que tem como objetivo dividir os panos de concretagem conforme o planejamento da obra. Possui barra de transferência;
  • Junta serrada: é utilizada para permitir a acomodação dos efeitos da retração. Possui barra de transferência;
  • Junta de encontro: empregada nos encontros com outros elementos como pilares e caixas de drenagem, tem como objetivo evitar qualquer tipo de transferência de esforços para estes elementos. Não possui barra de transferência.

14 – Acabamento superficial do piso de alto desempenho:

O acabamento superficial pode ser executado de diversas formas e é feito conforme o tipo de utilização do piso de alta resistência.
Alguns tipos de acabamento são executados ainda com o concreto fresco, para isto esta fase seria executada antes do processo de cura.
Como falado anteriormente o objetivo do acabamento superficial é garantir características importantes ao piso, como resistência à abrasão, resistência a intempéries, agentes químicos ou biológicos. Além disso, alguns tipos de acabamento conferem ao piso um aspecto visual mais agradável.
Confira dois tipos de acabamento que são muito adotados para o piso industrial:
  • Acabamento epóxi: que é a utilização de resina com endurecedor de superfície, é o tipo de acabamento mais utilizado;
  • Concreto polido: processo muito parecido com o do concreto queimado, é mais resistente que o acabamento epóxi.

Considerações Finais

Como pode ver, não existe mistério para a execução de um bom piso industrial. É importante ter um bom planejamento, elaborar bons projetos e executar cada fase com os devidos cuidados e muita atenção.
Um bom piso de alto desempenho pode durar uma vida toda, resiste a altas cargas de utilização e garante conforto em ambientes altamente agressivos, como os industriais.
Boa sorte em sua construção!

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos e importantes, mas assine com seu Nome, onde trabalha e de qual estado/cidade você é.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010