Ensaio de Abrasão de "Los Angeles" (NBR NM 51:2001)

17 de julho de 2013

1. INTRODUÇÃO
A resistência à abrasão é a resistência ao desgaste superficial dos grãos de agregado
quando é submetido ao atrito. Mede, portanto a capacidade do agregado não se alterar
(quebrar) quando manuseado. É medida na máquina “Los Angeles” composto por um tambor
cilíndrico que gira durante um tempo estabelecido com agregado mais bolas de ferro fundido
no seu interior, o impacto das bolas com o agregado provoca o desgaste dos grãos. A
amostra entra no ensaio com uma granulometria definida e depois do atrito, peneira
novamente para medir o desgaste. A especificação de agregado para concreto NBR
7211:2009 estabelece que o índice de desgaste por abrasão não deve ser inferior a 50% em
massa do material inicial.

2. APARELHAGEM
a) Máquina “Los Angeles” completa conforme especificação composta por um tambor de aço
cilíndrico oco de aproximadamente 500 mm de comprimento e 700 mm de diâmetro, eixo
horizontal fixado em dispositivo externo que transmite um movimento de rotação ao redor
dele próprio. A velocidade deve ser periférica e uniforme;
b) Carga abrasiva que consiste em esferas de ferro ou aço fundido, com aproximadamente
48 mm de diâmetro e massa entre 390 g e 445 g;
c) A máquina possui abertura com tampa para introduzir o agregado a ser ensaiado e as
bolas de aço, a tampa deve ter trava forte, boa vedação para não permitir perda de pó e de
fácil abertura;
d) Balança com resolução de 0,5 g;
e) Estufa capaz de manter a temperatura entre (107,5 + 2,5)ºC;
f) Jogo de peneiras com as seguintes aberturas: 75 mm – 63 mm – 50 mm – 37,5 mm – 25
mm – 19 mm – 12,5 mm – 9,5 mm – 6,3 mm - 4,75 mm – 2,36 mm e 1,7 mm;
g) Bandeja metálica de aproximadamente 70 x 50 x 50 cm;
h) Colher retangular ou pá de cabo curto;
i) Escova de fibra para limpeza das esferas (carga abrasiva) depois do ensaio.

3. PREPARAÇÃO DA AMOSTRA
j) A amostra para ensaio será obtida separando, por peneiramento, as diferentes frações
dos agregados, conforme a tabela 2;
k) Lavar e secar separadamente cada fração do agregado em estufa (107 + 2,5)ºC até
massa constante;
l) Verificar qual o tipo de granulometria do material definido na tabela II que mais se
aproxima do agregado em estudo; pesar as quantidades correspondentes das frações
obtidas no item b, até completar a massa total da amostra, nas proporções estabelecidas na
tabela II e misturá-las muito bem entre si.

4. PROCEDIMENTO DO ENSAIO
m) Determinar a massa da amostra (M) com precisão de 1 g conforme obtido no item 3 C,
secar em estufa e depois colocar a amostra dentro do tambor mais as esferas de aço (carga
abrasiva).
n) Ligar a máquina com a mostra mais a carga abrasiva, o tambor deve girar a uma
velocidade entre 30 a 33 r.p.m., até completar 1000 rotações para as graduações E, F e G
conforme dados da tabela II.
o) Retirar o material do tambor e peneirá-lo na peneira de abertura de malha 1,7 mm;
p) Lavar a amostra retida na peneira de malha 1,7 mm e secar em estufa a (107,5 + 2,5)ºC.
q) Após o período na estufa, pesar a amostra (M1) com precisão de 1g.
Nota: Antes de colocar a amostra na máquina, verificar a limpeza interna do tambor para
evitar contaminação do agregado.

CÁLCULOS:
Calcular a porcentagem de perda por abrasão através da formula seguinte:

P= (M-M1)/M

P = Perda por abrasão em porcentagem;
M = Massa do material seco do material obtido;
M1 = Massa do material obtido em 4e.

 
Clube do Concreto | by TNB ©2010